Um Recado Para Você!

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Nada Além das Quatro Paredes

Resultado de imagem para entre quatro paredes alma gemeasO relacionamento de um casal não deve ir além das quatro paredes. Ao erguer as quatro paredes para a vida sexual, o casal deve seguir estes padrões bíblicos: amor, abnegação, satisfação e respeito; essas quatro “paredes”, quando ligadas, formam o ambiente seguro para o relacionamento sexual de um casal.

A. Amor
O amor é a primeira parede de qualquer relacionamento. Ele nos leva a ter total interesse no bem-estar do próximo. Na conversa entre Deus e Abraão, sobre a destruição de Sodoma e Gomorra (Gn 18.22-33), o Senhor declarou que seu amor pelos justos o levaria a poupar aquelas cidades. Já 1 Coríntios 13 nos mostra que o amor é uma inclinação em favor do outro. Um relacionamento amoroso se estabelece somente quando duas pessoas desejam e trabalham pelo bem um do outro; e isso deve ser aplicado no relacionamento sexual do casal: o interesse não é somente buscar o próprio prazer, mas também o do outro.
B. Abnegação
A abnegação é a marca do amor verdadeiro da igreja de Cristo. Paulo ressaltou isso ao falar da igreja de Tessalônica (1Ts 1.3), que mostrava abnegação ao apoiar os necessitados, ao abrir mão de parte de seus recursos pelo bem do outro.
Uma relação matrimonial que revele como deve ser a igreja do Senhor tem na abnegação um importante parâmetro. No relacionamento conjugal, ambos devem se entregar, abrindo mão de si mesmo pelo bem do outro. Amor e abnegação são paredes que, unidas, formam parte da estrutura de um lar. O amor nos move em direção do outro, em favor do outro; já a abnegação nos move para longe de nós mesmo. Tanto o amor como a abnegação foram demonstrados por Cristo (Fp 2.5-11).
C. Satisfação
Paulo demonstrou seu amor aos filipenses, mesmo diante de tantas pessoas que tornavam sua prisão ainda mais dura. Ele mostrou que seu desejo em permanecer era ver os frutos do evangelho na vida de seus irmãos. A satisfação de quem ama é a satisfação da pessoa amada.
Esse princípio também se aplica na vida conjugal. A terceira parede da intimidade do casal é a satisfação. O amor é uma ação em favor do outro. Quando amamos o nosso cônjuge o seu bem-estar é uma satisfação para nós.
D. Respeito
A quarta parede, o respeito, completa o fechamento correto da relação de um casal. Em tempos em que tanto se fala de fantasias e de coisas para “apimentar” a relação, devemos lembrar que a Palavra de Deus preza a honra do corpo. Antes de ser meio de prazer para um casal, o corpo é oferta a Deus (Rm 12.1).
O prazer e a satisfação do próprio corpo não devem ser o foco do ser humano. Antes de tudo, o corpo deve ser encarado como instrumento para serviço de Deus. Além da satisfação sexual do casal, Deus nos constituiu para seu serviço, por isso imprimiu-nos sua imagem e semelhança. O uso do corpo deve ser respeitoso, de modo que nem esposo, nem esposa, o usem indevidamente, sem objetivar a glória de Deus.
Infelizmente, diante de tanta perversão sexual, os crentes têm adotado formas grotescas de sexo, que desviam o propósito de Deus para nosso corpo. Para que um casal cristão não ceda à tentação de imitar o que a pornografia vende como sendo simples formas de se esquentar a relação é preciso haver respeito entre os cônjuges.

Sexo é importante e deve ser praticado dentro dos limites do matrimônio. Não deve ser usado como moeda de troca. Há uma forma bíblica para o romantismo e, para alcançá-la, o casal deve construir sua relação a partir de quatro pilares sólidos; são eles: o amor, a abnegação, a satisfação e o respeito.
O cristão deve ter cuidado com as inspirações, e as fontes de onde ele tira ideias para incrementar o relacionamento sexual. Além disso, ele deve enxergar o corpo, a relação sexual e a vida a dois como um serviço diante de Deus e não como uma simples forma de satisfação pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário