Um Recado Para Você!

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Conflitos e Desafios da Família

Resultado de imagem para conflito familiarNo Salmo 127, versículo 1, encontramos a seguinte expressão das Escrituras: 
“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam”. 
Diante da leitura do texto supra, verificamos os seguintes pontos importantes: O primeiro detalhe interessante é: o significado da palavra casa. Neste aspecto, o vocábulo “casa” quer dizer “lar”. Não se trata da edificação arquitetônica, erguida com materiais de construção disponíveis nas inúmeras lojas do gênero, mas, de um local construído com amor, alegria, compreensão e perdão. Comentando este assunto, a historiadora Flavianne Vaz, em artigo para a revista “Ensinador Cristão”, escreveu: “O lar é o lugar onde a família vive e é neste lugar em que aprendemos a falar, ouvir e a respeitar o jeito, o espaço e os bens do próximo. É nele que conhecemos os limites, as regras, os princípios. É um espaço de interação, de comunicação, de descanso e de trabalho”. O outro ponto importante abordado pelo salmista é: a edificação da casa (lar) está totalmente condicionada à sublime ação do Deus Altíssimo. O Espírito Santo foi derramado no coração de cada crente integrante da família. Portanto, devemos dar lugar à operação do Divino Consolador em nossas vidas. Ainda como destaque do que escreveu o salmista no texto em tela, encontramos que todo o esforço despendido no projeto de edificação do lar, será vão se não tiver a mão do Senhor guiando os passos dos membros da família. É preciso que cada integrante da família esteja atento às recomendações propostas acima.
Aprendemos pelo estudo da Sociologia que “a família é a célula mãe da sociedade”. Os estudiosos, as autoridades, os religiosos e outros segmentos sociais proclamam esse postulado e até esboçam alguma forma de defesa para com a família. Porém, a constatação na prática, é que essa instituição continua sendo atacada de todas as formas pelas forças do mal que operam na vida da sociedade hodierna. Essas terríveis investidas buscam a todo custo desestabilizá-la e levá-la ao fracasso em todos os aspectos. A Bíblia Sagrada expressa de forma enfática a vontade de Deus em que o ser humano viva desfrutando dos laços familiares (Êxodo 1.21; Deuteronômio 12.7). No entanto, vivemos tempos marcados por conflitos sociais, conjugais, espirituais e familiares de níveis elevados. Isso é uma prova dos tempos do fim preconizados pelo apóstolo Paulo em suas cartas (1 Coríntios 14.33).Talvez esses dias sejam os mais conturbados da história da raça humana. Diante desse quadro geral acima colocado, vamos pormenorizar o assunto abordando a situação da família atual. Ela tem enfrentado os mais diversos conflitos que são provocados pela ação de vários fatores bem presentes no século 21. A seguir, menciono alguns desses conflitos:
A tecnologia como fator desagregador da família – Dentro desse contexto encontramos alguns elementos que induzem os integrantes da família ao isolamento, provocando grande dispersão no recôndito familiar. Entre eles podemos citar: o uso indiscriminado do computador por parte de crianças, adolescentes, jovens e adultos, especificamente o uso da internet; a falta de controle em alguns lares tem se tornando um vício; outro elemento fruto da tecnologia que tem gerado problemas é o uso do celular até por crianças; nem mesmo o ambiente do templo, local de adoração, escapa do mau uso de equipamentos eletrônicos; e por último temos ainda a televisão que há muitos anos tira a privacidade e furta de forma indiscriminada os momentos de união da família. O catedrático pastor e escritor Elinaldo Renovato, em seu livro Perigos da Pós-modernidade (CPAD), adverte quanto ao uso desse aparato tecnológico: “É um grande desafio para a família saber usar e controlar os meios de comunicação. Muitas pessoas não sabem o que é internet. Trata-se de um sistema de comunicação extraordinário, que desafia a capacidade humana de processar informações em grande escala. (…). O uso da internet torna-se um grande desafio para a Igreja e para as famílias, por causa de sua enorme versatilidade”.
O conflito da impureza moral que avança sobre a sociedade – A depravação humana dos dias atuais encontra-se profetizada na Bíblia Sagrada pelas palavras do apóstolo Paulo na epístola aos Romanos 1.26 a 29. Neste aspecto, mencionamos algumas práticas terríveis que fazem parte da vida da sociedade atual e que em muito tem prejudicado a vida das famílias: a prostituição, o adultério, a fornicação, o homossexualismo e a pedofilia. Todos eles constituem elementos nefastos que se abatem sobre as famílias provocando uma desagregação avassaladora.
Desobediência generalizada Seguindo esses passos tenebrosos dos conflitos enfrentados pelas famílias no presente século, encontramos dentro deste aspecto alguns itens que devem nos fazer pensar. A seguir enumeramos as seguintes atitudes: a rebeldia dos filhos crianças, adolescentes e jovens. A Bíblia ensina a obedecer e a honrar pai e mãe (Efésios 6.1 a 3); a falta de amor dos maridos para com as esposas; a Palavra de Deus falando aos maridos, enfatiza a necessidade da prática do amor (Efésios 5.25); a insubmissão das esposas; o ensino divino é o da submissão da esposa com base no amor (Efésios 5.22; Colossenses 3.18); a falta de compromisso dos pais para com os filhos; as Escrituras asseveram o cuidado dos genitores no ensino dos filhos (Deuteronômio 6.7; Provérbios 22.6).
A proliferação dos vícios – Em seu ministério terreno, Jesus vaticinou esses dias funestos no prodigioso sermão profético encontrado no Evangelho de Mateus 24.37 a 39. Olhando para a sociedade hodierna encontramos a presença indiscriminada de muitos produtos malfazejos que levam a vida do ser humano ao fundo do poço. Esses ingredientes satânicos são os seguintes: o uso de bebidas alcoólicas, do fumo de produtos diversos, das drogas de vários tipos, a prática indiscriminada do sexo e, como vício mais moderno, o uso excessivo da internet.
A má administração do tempo – As pessoas estão atingidas pela síndrome da falta de tempo. Uma frase é cada vez mais comum na atualidade: “não tenho tempo”. Esse conflito atinge as seguintes áreas: tempo para Deus, ou seja, uma vida devocional abundante (Eclesiastes 12.1; Mateus 6.33); tempo para a família (1 Timóteo 5.8; Josué 24.15); tempo para a igreja, através da prática do serviço cristão (Eclesiastes 9.10; 2 Timóteo 1.5,6); tempo para consigo mesmo através do cuidado pessoal (1 Timóteo 5.23). Portanto, os conflitos que procuram atingir a família, nesses dias que antecedem à gloriosa vinda de Jesus são muitos. Como então resistir a tudo isso e manter uma vida de dedicação constante a Deus? 
É preciso estar consciente da necessidade de enfrentar alguns desafios.
Primeiro Desafio: A manutenção da estrutura familiar – É importante a identificação dos papéis no contexto familiar: marido, mulher, pais e filhos (Salmo 128). Esses papéis encontram-se ameaçados de completa inversão. 
Segundo Desafio: Ter uma convivência familiar harmoniosa – O amor é a base de uma convivência feliz em família (Cantares 8.7); no bojo desta análise vamos encontrar os seguintes tipos bíblicos de o amor: amor conjugal (Efésios 5.33), amor paternal (Jó 1.5), amor maternal (Êxodo 2.3), amor filial (Provérbios 23.22), amor fraternal (Gênesis 45.4,14,15). 
Terceiro Desafio: A preservação dos valores – É imprescindível a compreensão dos membros da família de que os valores necessitam ser preservados (Mateus 19.4 a 6); os valores aos quais nos referimos são: sociais, morais e espirituais. 
Quarto Desafio: A busca pela presença de Deus nas formas individual (Mateus 6.6), coletiva (Atos 2.42) e no recôndito do ambiente familiar, ou seja, no culto doméstico e nos cultos familiares (Filemon vv. 1 e 2).
Por, Raimundo Leal Neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário