Um Recado Para Você!

domingo, 15 de março de 2015

Uma Boa Conselheira para o Esposo

Mulheres são influentes. Nós somos relacionais por natureza, então nós frequentemente somos as mantenedoras dos relacionamentos nas nossas famílias e comunidades. Com esses relacionamentos, nós temos grandes oportunidades e a grande responsabilidade de usar bem nossa influência.
A pessoa que mais influencia o meu marido
Depois de quase quinze anos de casamento, criação de filhos e parceria de ministério, eu finalmente estou começando a entender o peso da responsabilidade de ser conselheira e a pessoa mais influente para o meu marido. Por ele ser pastor, eu afeto suas perspectivas, sermões, pensamentos sobre os outros e decisões. Nós damos cores às perspectivas de nossos maridos em tudo: Isto é um grande poder e também uma grande responsabilidade.
Eu estou dando minhas opiniões e tentando influenciar ele para fazer o que eu quero que ele faça? Ou eu estou escutando e falando com um coração que confia nele e, acima de tudo, confia no Senhor? Como eu posso usar minha influência como benefício dele e para as pessoas que ele influencia?
Você não precisa ser a esposa de um pastor para ter influência. Na verdade, você não precisa ser uma esposa, mas isso é outro post para outro dia. Toda esposa influencia seu marido. Muitos maridos dependem de suas esposas para serem suas conselheiras. Nós colorimos suas perspectivas em tudo: trabalho, masculinidade, filhos, amizades, igreja, e do próprio Deus. Isso é um grande poder e uma grande responsabilidade.
Como podemos fazer isso bem? Aqui estão algumas coisas que eu aprendi (e, honestamente, continuo aprendendo) sobre ser a principal influência e conselheira do meu marido.
Influência através de ouvir e fazer perguntas
Quando ele tem decisões para tomar e quer ouvir a sua opinião sobre a questão:
Imediatamente ore para que o Espírito Santo a ajude a entender quando falar e quando se calar quando sua conversa começar. Por exemplo, eu aprendi que raramente eu devo ajudá-lo a tomar decisões sobre o trabalho. No entanto, sou eu quem frequentemente o ajuda a tomar decisões através de perguntas que faço a ele e sobre as ideias que geramos e ponderamos juntos. Às vezes quero dizer a ele o que fazer desde o início e esta é a razão pela qual preciso do Espírito Santo para me cutucar quando for o momento de dar minha opinião.
Quando você tem uma forte opinião formada desde o início:
É bom saber o poder que você tem para influenciar a situação, mas também deve entender que seus instintos, experiências e, especialmente, suas preferências, podem não ser uma sabedoria piedosa. Você não quer influenciá-lo de acordo com suas preferências, mas de acordo com as de Deus. Ore pedindo ouvidos que entendam toda a situação. Ore por sabedoria para pensar em prováveis perguntas para ajuda-lo a meditar sobre isso. Ore pela habilidade de esperar que ele peça sua opinião. E o mais importante, peça ao Senhor que te dê o coração dEle para aquela situação e que Ele transforme suas preferências ou respostas instintivas.
Influência no falar
Quando ele está estressado, desencorajado ou sobrecarregado e quer conversar:
Ver meu marido estressado e inseguro pode ser extremamente desconcertante, não só porque me dói quando ele está machucado, mas porque me força a confiar no meu marido e a entregar as situações que ele está enfrentando para Deus. Vou confiar em Deus e no processo de santificação ou vou temer e me preocupar de um jeito que aumente o estresse do meu marido?
Quando eu escolho confiar no Senhor, eu sou capacitada a falar a verdade ao meu marido e a levá-lo de volta para a verdade fundamental de que vale a pena confiar em Deus e que Ele irá sustentá-lo.
Quando ele está verbalizando sua frustração com outra pessoa:
O instinto de toda esposa é o de defender o seu marido. Eu aprendi que posso ouvir quando meu marido está compartilhando suas frustrações, mas não há necessidade de me juntar a ele nisso. Eu tenho o tremendo poder de confundir a perspectiva do meu marido sobre as pessoas em sua vida. Até com palavras faladas em conversas privadas, eu posso causar divisões em relacionamentos e aumentar frustrações.
Influência através de atividades
Quando vocês conversam sempre sobre o mesmo assunto (o que é frequentemente sobre a igreja para esposas de pastor):
A melhor coisa que você pode fazer é ajudá-lo a ser uma pessoa completa. Se ele está falando sobre trabalho todo o tempo e isso é o único assunto que vocês conversam, é um sinal de que ele não está sendo uma pessoa completa. Uma pessoa completa tem relacionamentos familiares, amizades, recreação, emoções saudáveis e interesses variados que geram vida e descanso. Influencie essa mente de mão única do seu marido encorajando-o a fazer atividades que não envolvam aquela única coisa e alegremente dê tempo a ele para fazer isso. Quando ele tem outros relacionamentos e atividades na vida dele, ele vai ter assuntos variados para conversar.
Influência Através da Oração
Quando são necessárias mudanças no coração e no estilo de vida:
Como esposa posso ajudar meu marido através da introspecção e de feedbacks, mas há uma área que eu só posso influenciar através da oração – seu coração. Irritá-lo e jogar os meus pensamentos e opiniões sobre o que ele precisa fazer (mesmo que esteja certa) não vai ajudar em nenhuma mudança. Eu posso, claro, respeitosa e gentilmente trazer minhas questões a ele, mas eu acho isso muito mais efetivo depois que passei um tempo considerável orando sobre minhas preocupações e pedindo a Deus para que faça o necessário na vida dele.
É interessante olhar para trás nessa lista e reconhecer como somos influentes e a abrangência desta influência. Ela me encoraja ainda mais a procurar usar essa influência para o bem na vida do meu marido. E você? Você está usando sua influência com sabedoria e para o benefício do seu marido?

Nenhum comentário:

Postar um comentário