Um Recado Para Você!

domingo, 15 de março de 2015

Conexão de Almas

O velho sentimento do passado que nos levou ao casamento será sempre novo na essência. Quem disse que o amor esfria com o tempo em uma relação estável é porque não aprendeu a ter conexão de alma com quem casou. Como é compartilhar a vida espiritual de forma intima? Há pessoas casadas que vivem juntas, mas nunca compartilharam a intimidade espiritual. A comunhão espiritual depende da percepção de cada um com relação a Cristo. O divórcio não começa com separação de corpos, mas com o silencio da alma de um para com ou outro. Quando não há o partilhar das emoções mais profundas, dos seus mais profundos anelos e carências.

Isso porque cultivar a espiritualidade é desenvolver intimidade do “eu” de forma centrípeta. Eu decido compartilhar minha alma com o outro. Quando digo isso, não falo de pensamentos possessivos ou desejos carnais, mas entrega dos mais profundos sentimentos e absorção das energias vitais do espirito humano com a pessoa a quem escolhi dividir minha vida. Antes de estar juntos precisamos estar sós conosco.

As pessoas só estão sozinhas quando estão diante de si mesmas em profundo silencio sem os barulhos periféricos que ensurdecem a alma pelos conflitos provocados pelo outro na periferia dos sentidos. A vida intima profunda começa a ter sentido quando eu começo cultivar a quietude com a divindade que está além da matéria. Foi isso que Jesus disse a mulher Samaritana “... Os verdadeiros adoradores do Pai o adorarão em espirito em verdade”.Falo de contemplação e meditação. Estar quieto. Há um salmo que diz: “Aquietai-vos porque Eu Sou Deus!” Eu sou livre para construir intimidade com quem eu quiser se de fato existir a reciprocidade do outro querer.

Tem que haver a delicadeza da reciprocidade do outro. Eu não posso ser indelicado e intrujão. Cristo anseia esse estado de alma; Ele garimpa no meio de uma humanidade que insiste em não ver nada além da matéria e dos sentidos físicos. Procura como um diamante tais almas que assim desejam esse estado de espirito. É raro, mas essas pessoas existem. São pessoas que deixam a profanidade de uma vida rasteira e decidem viver acima do medíocre.

Quando há essa conexão entre pessoas com Cristo desaparecem os sentimentos mesquinhos.Cristo teve profunda percepção da alma da samaritana e ela O reconheceu... “Tu és o Cristo!” Essa forma de olhar a alma de detectar a maior necessidade é divino. Por favor, não interpretem esse texto como estudo psicológico da anatomia da alma. Não de trata de técnicas disciplinares da mente humana. Estou falando de cultivo espiritual; vidas que anelam por um estado de clarividência espiritual com Cristo e de um para com o outro, em que a ética caminha com a mística. Em que o primeiro e grande mandamento é vivido...

”Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração e ao próximo com a tis mesmo”. Nesse caso o meu próximo mais próximo é o meu cônjuge.Quem não é espiritual, não conseguirá entender esse texto. Paulo disse que o homem espiritual não é compreendido pelo homem natural. Esse assunto deveria ser ensinado a todos os casados, para que suas almas aprendam a ter conexão.

Desapareceriam os ciúmes, as cretinices e tantas baboseiras que entulham o coração provocando brigas e discussões. Quando converso com casais em conflito a essência dos problemas entre casados são sempre as mesmas picuinhas que nunca foram tratadas. Não importa quantos anos de casados. Estão juntos, mas nunca se casaram, pois não aprenderam a ter conexão de almas. O autoconhecimento da alma do outro depende da percepção de ambos com Cristo.Isso não é fácil praticar para quem é egocêntrico em essência.

É necessária profunda humildade da parte de cada um. Quando deixamos de viver em função de nós mesmos e passarmos a viver em função do desejo de ver o outro feliz, é ai que começa a empatia, sentimento que solidifica uma relação ao ponto de ter uma conexão de alma ajustada. Quem puder entender... Entenda!


PEDRO LUÍZ DE ALMEIDA

Nenhum comentário:

Postar um comentário