Um Recado Para Você!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Edificando a Família para Abençoar a Igreja

Um lar é formado por duas pessoas que receberam costumes, educação, valores, crenças diferenciadas, passam assim a viver juntos e compartilhar essas diferenças tornando-as comuns aos dois. Isto não é tarefa fácil. Imaginem se pensarmos em termos de igreja, de congregar um povo em que cada qual recebeu um tipo de educação, valores, crenças, etc.
“Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com sinceridade e com verdade; e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao Senhor. Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor.
Então respondeu o povo, e disse: Nunca nos aconteça que deixemos ao Senhor para servirmos a outros deuses; Porque o Senhor é o nosso Deus; Ele é o que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão, e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho que andamos, e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos. E o Senhor expulsou de diante de nós a todos esses povos, até ao amorreu, morador da terra; também nós serviremos ao Senhor, porquanto é nosso Deus.
Então Josué disse ao povo: Não podereis servir ao Senhor, porquanto é Deus santo, é Deus zeloso, que não perdoará a vossa transgressão nem os vossos pecados. Se deixardes ao Senhor, e servirdes a deuses estranhos, então ele se tornará, e vos fará mal, e vos consumirá, depois de vos ter feito o bem. Então disse o povo a Josué: Não, antes ao Senhor serviremos.
E Josué disse ao povo: Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes ao Senhor, para o servir. E disseram: Somos testemunhas. Deitai, pois, agora, fora aos deuses estranhos que há no meio de vós, e inclinai o vosso coração ao Senhor Deus de Israel. E disse o povo a Josué: Serviremos ao Senhor nosso Deus, e obedeceremos à sua voz.
Assim, naquele dia fez Josué aliança com o povo e lhe pós por estatuto e direito em Siquém. E Josué escreveu estas palavras no livro da lei de Deus; e tomou uma grande pedra, e a erigiu ali debaixo do carvalho que estava junto ao santuário do Senhor. E disse Josué a todo o povo: Eis que esta pedra nos será por testemunho, pois ela ouviu todas as palavras, que o Senhor nos tem falado; e também será testemunho contra vós, para que não mintais a vosso Deus. Então Josué enviou o povo, cada um para a sua herança.
E depois destas coisas sucedeu que Josué, filho de Num, servo do Senhor, faleceu, com idade de cento e dez anos. E sepultaram-no no termo da sua herança, em Timnate-Sera, que está no monte de Efraim, para o norte do monte de Gaás. Serviu, pois, Israel ao Senhor todos os dias de Josué, e todos os dias dos anciãos que ainda sobreviveram muito tempo depois de Josué, e que sabiam todas as obras que o Senhor tinha feito a Israel”, (Josué 24 : 14 a 31).
Este texto é usado por muitos pregadores dentro das igrejas, com relação à família. Mas e daí? O que isso tem causado de mudança nas nossas casas, nosso casamento, nossos filhos?
Quais escolhas temos feito em relação a nosso compromisso com o Senhor e a igreja? Neste texto duas palavras nos chamam a atenção.
As palavras são: temer e servir ao Senhor com sinceridade e verdade.

Temer

O temor do Senhor– Isto faz a diferença em nossa vida cristã, ou pelos menos, deveria fazer a diferença. Hoje muitos, de nós tememos ao Senhor diante de um sermão que ouvimos, parece que vai mudar a nossa história, porém passados alguns dias, tudo volta ao normal, e o que era temor já não faz mais diferença. Quantas vezes nos pegamos dizendo que o temos do Senhor foi o que não nos deixou fazer isto ou aquilo. Os pecados estão em todo tempo nos rodeando, mas o Temor do Senhor não nos deixa perder de vista a salvação ou o nosso compromisso com Deus. O ímpio quer ver em nossas atitudes uma diferença, e quando isto não acontece à luz do Senhor deixa de brilhar e nós deixamos de edificar.
Devemos ter em mente que o Temor do Senhor em nossas vidas é o que ensinamos aos filhos que criamos hoje e que formarão a sociedade e a igreja de amanhã. Como tem sido esta formação de Temor ao Senhor na vida de seus filhos. Tem sido através do seu testemunho ? Lembrando que nossos filhos serão nossas cópias amanhã.
“Um Pastor foi visitar a casa de um membro da sua igreja, o dono da casa o recebeu e pediu que entrasse e se assentasse. Depois de certo tempo de bate-papo, o filho mais novo entrou na sala e começou a olhar o Pastor de todos os lados, o pai intrigado perguntou:
– O que foi meu filho ? Você está incomodando o Pastor. A criança respondeu:
-Estou procurando a outra cara dele que o senhor disse que ele tinha papai. O pai havia comentado em conversa com a esposa que “o pastor tinha duas caras”.

Servir

Quando pensamos na palavra servir já nos vem à mente serviço na igreja, pois o Pastor está vendo, e vai dizer que eu sou servo fiel, eu sou útil. Josué no v.14 diz “ser servos sinceros e fiéis”. Para servir ao Senhor é necessário dispor de nosso tempo, casa, dinheiro, carro, amor, interesse e tudo que o Senhor lhe confiou para administrar. Mas o que ocorre é que esquecemos que não somos o dono e sim mordomos. E se não somos donos é porque temos um Senhor. Quase sempre não estamos dispostos a servir, e renunciar a nossa vida.

Alguns pontos a ressaltar na família:

- Os Pais e os seus filhos ao redor da mesa: “Em casa, a sua mulher será como uma parreira que dá muita uva; e, em volta da mesa, os seus filhos serão como oliveiras novas”, (Salmo. 128:3).
Hoje não é comum vermos cenas de pais e filhos sentados juntos à mesa, conversando, brincando, orando, lendo a Bíblia. Mas filhos que não suportam a presença dos pais. O lar deveria ser um abrigo, um ambiente de confiança.
Estar ao redor da mesa conta como tempo de oração, de devocional, de comunhão, de ensinamento da Palavra.
- Não passar nossa responsabilidade de educar os filhos para outros: “E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor”, (Efésios 6:4).
A Palavra de Deus nos mostra que devemos ser responsáveis pela educação e ensinamento de nossos filhos.
Quantos filhos são criados por seus avós, babás, creches, e os pais não se preocupam com a educação dos seus filhos, delegam a outros essa obrigação.
Certa vez ouvi de uma mãe que não sabia o que iria fazer, pois a escola entraria em férias e não teria com quem deixar o seu filho. Mas o que me intrigou não foi o ter com quem deixar o seu filho, e sim que esta mãe não tinha um trabalho fora de casa, ou seja, ela não queria era cuidar de seu filho.
- Vida espiritual no lar: “E, depois que foi batizada, ela e a sua casa, nos rogou, dizendo: Se haveis julgado que eu seja fiel ao Senhor, entrai em minha casa, e ficai ali. E nos constrangeu a isso” (Atos 16:15).
O texto nos fala de Lídia e que após sua conversão e de sua família, convida Paulo e Silas para irem a sua casa, para falar da Palavra Deus. Aqui é mostrado o prazer que se tem em ouvir a Palavra de Deus, quando todos da casa são convertidos.
Devemos nos preocupar com a vida espiritual da nossa família, principalmente o homem, que é o responsável por essa educação espiritual.
Devemos fazer que as pessoas tenham prazer de estar em nossa casa, e encontrem paz, alegria, consolo, comunhão, unidade, oração. Lares que não há respeito entre as pessoas, não há Temor do Senhor.
- Duplicidade de vida: “Somente deveis portar-vos dignamente conforme o evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós que estais num mesmo espírito, combatendo juntamente com o mesmo ânimo pela fé do evangelho”, (Filipenses 1:27).
Não importa o lugar onde estamos, somos sempre o mesmo. Há pessoas que desejam se mudar para o templo, pois no templo o seu cônjuge é uma benção.
Conta-se uma história de um pastor que morreu, e no seu velório, as pessoas que chegavam próximas ao caixão, só diziam palavras bonitas, e de quanto aquele homem era prestativo, bondoso, amável. Num certo momento sua esposa chega para um dos filhos e diz, filho, vá até o caixão e veja se realmente é seu pai quem está ali, ou se estamos no velório errado. Quantas pessoas mão conhecemos que são dessa forma, parece que tem duas caras, num lugar são de um jeito e em outro lugar se portam de outra forma.
- Cuidado com os valores: “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor”, (Efésios 5:15-17).
Hoje em dia os valores tem sido trocados, ou adaptados ao momento. Paulo nos exorta a não agirmos como pessoas sem juízo. Hoje em dia tudo é relativo, eu tenho o meu modo de pensar, o meu modo de viver.
Paulo nos exorta: “Tudo as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm”, (1ª Coríntios 6:12).
E nós cristãos devemos nos preocupar com os valores que estamos passando para nossos filhos, nossas crianças, nossos jovens…
Conclusão
Josué tinha os seus valores estabelecidos, não se importava com o que o povo pensava dele, pois queria agradar ao Senhor, temia e servia ao Deus vivo. E tinha autoridade sobre os da sua casa, “Eu e minha casa”, será que podemos dizer como Josué?
E o povo, por conhecer Josué, e saber o que Deus fazia através da sua vida, ficou ao seu lado, servindo ao Senhor. (Vs. 16-18).
Josué disse ao povo que poderia servir ao Senhor, mas que dispensassem todos os ídolos, pois o Senhor não aceita adoração a outros deuses. (v. 19).
Josué morreu, (V. 29), porém o povo continuou servindo ao Senhor, mesmo após sua morte. (V. 31). Josué morreu, mas os valores deixados por ele continuaram a prevalecer.
“Os céus e a terra desaparecerão, mas as minhas palavras ficarão para sempre”. (Mt. 24:35).
Que Deus abençoe sua vida, sua famílias, e que você entenda os propósitos de Deus em sua vida.
Pastor Wanderley

Nenhum comentário:

Postar um comentário