Um Recado Para Você!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

De Quem é a Culpa?



Você já reparou que sempre que acontece alguma no seu relacionamento amoroso, familiar, profissional, ou entre irmãos, a culpa nunca é sua? Algumas vezes não é mesmo, mas sempre precisamos ter sensibilidade para analisarmos as nossas falhas. O ser humano tem o costume de sempre enxergar o erro do outro, mas de esquecer o dele. Fazemos isso com nosso cônjuge, por isso sempre o julgamos, mas esquecemos que também temos erros. Isso é natural do homem desde o tempo bíblico:

“E o Senhor enviou a Davi o profeta Natã. Ao chegar, ele disse a Davi: "Dois homens viviam numa cidade, um era rico e o outro, pobre. O rico possuía muitas ovelhas e bois, mas o pobre nada tinha, senão uma cordeirinha que havia comprado. Ele a criou, e ela cresceu com ele e com seus filhos. Ela comia junto dele, bebia do seu copo e até dormia em seus braços. Era como uma filha para ele. "Certo dia, um viajante chegou à casa do rico, e este não quis pegar uma de suas próprias ovelhas ou dos seus bois para preparar-lhe uma refeição. Em vez disso, preparou para o visitante a cordeira que pertencia ao pobre". Então, Davi encheu-se de ira contra o homem e disse a Natã: "Juro pelo nome do Senhor que o homem que fez isso merece a morte! Deverá pagar quatro vezes o preço da cordeira, porquanto agiu sem misericórdia". Então Natã disse a Davi: "Você é esse homem! Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: ‘Eu o ungi rei de Israel, e livrei-o das mãos de Saul.” 2 Sm 12:1-7 – NVI.

Davi julgou e condenou o homem cruel da parábola de Natã, sem ter a capacidade de enxergar que fez o mesmo, na verdade, ele mesmo era o homem cruel da história.
Davi condenou o cruel a restituir quatro vezes o homem pobre da parábola, pelo pecado que cometeu, mas mal sabia que estava condenando a si mesmo.
Tudo o que desejamos de mal para o outro pode voltar para nós, principalmente se a condenação for para nosso cônjuge, pois somos uma só carne com ele.
Ao observarmos a Bíblia, podemos contar que foram quatro as sentenças de Deus contra Davi, exatamente a mesma quantidade de condenações que Davi deu ao homem cruel da parábola:

“Por isso, a espada nunca se afastará de sua família, pois você me desprezou e tomou a mulher de Urias, o hitita, para ser sua mulher’. "Assim diz o Senhor: ‘De sua própria família trarei desgraça sobre você. Tomarei as suas mulheres diante dos seus próprios olhos e as darei a outro; e ele se deitará com elas em plena luz do dia. Você fez isso às escondidas, mas eu o farei diante de todo o Israel, em plena luz do dia’ ".
Então Davi disse a Natã: "Pequei contra o Senhor! " E Natã respondeu: "O Senhor perdoou o seu pecado. Você não morrerá. Entretanto, uma vez que você insultou o Senhor, o menino morrerá".” 2 Sm 12:10-14 – NVI.

Analise e conte as condenações:
1. a espada nunca se afastará de sua família;
2. De sua própria família trarei desgraça sobre você;
3. Tomarei as suas mulheres diante dos seus próprios olhos e as darei a outro;
4. o menino morrerá;

Perceba que todas as condenações foram diretamente a família de Davi. Perceba também que pela misericórdia, Deus disse que Davi não morreria. Davi havia condenado o homem cruel da parábola a morte.
Talvez se Davi tivesse misericórdia desse homem, a sentença de Deus seria mais branda.
Davi não enxergou o seu erro, porém venceu o orgulho acatando as palavras de Natã, ele disse: "Pequei contra o Senhor! ".
Natã estava abaixo de Davi, pois era seu servo, mas Davi mesmo sendo repreendido por alguém que estava abaixo de sua autoridade e com cargo inferior ao dele, acatou a exortação do amigo, abriu os seus olhos e se arrependeu. Por isso é chamado de um homem segundo o coração de Deus.
Um homem ou uma mulher segundo o coração de Deus, é aquele que se arrepende. Para se arrepender, é preciso reconhecer o erro.

Você quer mudar o seu casamento? Então faça uma auto analise e reconheça aonde está errando, em vez de sempre enxergar o erro de seu marido ou esposa. Se arrependa, peça perdão e mude as suas atitudes.

Pr. Ronaldo Calil

Nenhum comentário:

Postar um comentário