Um Recado Para Você!

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Respeito e Honra Conjugal


No filme “300”, o rei Leônidas falou para seu filho: “A força de um espartano está no guerreiro próximo a ele. Dê respeito e honra a ele, e isto lhe será dado”.
Acredito que essas palavras são propícias para a relação conjugal. Nenhum casamento se mantém com qualidade sem respeito e honra. Esses são laços indispensáveis numa relação a dois.

A Bíblia diz que o marido deve amar sua mulher como a si mesmo, e a mulher deve tratar o marido com todo o respeito (Ef 5.33). O marido deve amar e honrar sua esposa (1 Pe 3.7), e a esposa deve ter uma conduta honesta e respeitosa para com o seu marido, num espírito dócil e tranqüilo, o que é de Grande valor para Deus (1 Pe 3.1-6). O casamento deve ser honrado por todos (Hb 13.4).
Criei uma máxima que sempre estou repetindo: “Tudo está ligado com tudo”. O casamento é feito de um todo, não apenas de uma parte. Pouco adianta falar para um marido ser romântico com sua esposa, se ela estiver ressentida com ele por causa de ofensas passadas não resolvidas. Temos que cuidar de todas as áreas. A lista seria muito Grande, mas vamos enumerar algumas delas:

Afeto. O afeto deve ser o ambiente do casamento. Ele cimenta a relação conjugal. A mulher não pode ficar sem afeto. Há milhares de formas de dizer eu te amo. Crie o hábito de mostrar afeto. Isso deve ser planejado e leva tempo para ser desenvolvido. O afeto é um estilo de vida. Quando o seu casamento estiver conturbado, provavelmente estará faltando o afeto. Sem afeto não há romantismo.


Sexo. Satisfaça as necessidades do seu cônjuge como você deseja que seu cônjuge satisfaça as suas. Explore sua sexualidade (1 Co 7.1-5). Afeto e consideração dão ao homem as chaves para a excitação feminina. Lembre-se sempre que a regra de ouro do casamento é a reciprocidade. Você não pode ter prazer no casamento se seu cônjuge não tiver prazer também.

Comunicação. Cônjuges atenciosos conversam de forma atenciosa. O marido precisa separar tempo para sua esposa, como no namoro. Evite Dar ordens. Não fira o outro com palavras. Não force o outro a concordar com você. Deixe a outra pessoa falar também. Dê atenção exclusiva ao seu cônjuge. Evite lembrar os erros passados. Procure se interessar pelos assuntos favoritos do outro.


Companheirismo. O casal que se diverte unido permanece unido. Quando Deus viu que o homem estava só, não criou dez amigos, e sim uma esposa (Gn 2.18).
Ninguém é capaz de fazer tudo o que gosta na vida. Não há tempo suficiente.
Por que então não escolher atividades que possam ser compartilhadas com o cônjuge? Participe de atividades em que você e seu cônjuge possam divertir-se juntos.

Honestidade. A honestidade é a melhor política de segurança no casamento.
“…cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo pois todos somos membros de um mesmo corpo” (Ef 4.25). A honestidade é uma das qualidades mais importantes de um casamento feliz. Seja honesto com seus sentimentos. Não aparente. Até que ponto seu casamento é realmente honesto?

Ser atraente. Atração física é o que você faz com aquilo que você tem. A mulher deve tentar mostrar-se do modo que seu marido quer que ela se mostre. Ela deve assemelhar-se à mulher com quem ele se casou. A maioria dos homens precisa de uma esposa atraente. As mulheres não têm essa mesma necessidade.
Os dois devem cuidar da higiene. Sem higiene, tudo FICA mais difícil.


Finanças. A segurança financeira é uma forte motivação para o casamento, é um apoio emocional necessário na vida conjugal. Todos precisam ganhar o suficiente para viver. A ausência disso pode provocar várias expectativas, suposições e ressentimentos. É importante que se viva dentro daquilo que se ganha durante o mês. Quando se fala de qualidade de casamento, menos pode ser mais.

Apoio doméstico. Ser uma boa dona de Casa, é uma excelente maneira de testemunhar na vida cristã (Tt 2.5). O marido deve ter a satisfação de voltar para Casa no final do dia e encontrar uma Casa em ordem com um ambiente agradável. Mas, experiências confirmam a importância das tarefas domésticas serem compartilhadas por ambos os cônjuges.


Compromisso familiar. Quando falamos em compromisso familiar, não podemos nos limitar aos afazeres domésticos, providenciar comida e roupa. É imprescindível que o pai marque presença efetiva em Casa na criação dos filhos (Pv 22.6). A família toda precisa de um marido e pai comprometido.
Isso dá segurança também para a esposa. Um bom marido deve ser um bom pai.

Admiração. Todos nós gostamos de ser admirados e elogiados freqüentemente.
Fomos criados com essa necessidade. É fácil elogiar e faz muito bem para quem recebe. O livro de Cântico dos Cânticos é um exemplo da importância que tem a admiração mútua na vida de um casal. A auto-estima deve começar em casa. Ao lado de todo o homem deve haver uma esposa admiradora.


Conclusão. Nosso casamento pode melhorar, pode crescer, mas não podemos esquecer que o casamento é feito de detalhes. “Não devemos, ao pensar em como fazer grande diferença, ignorar as pequenas coisas diárias que podem, com o passar do tempo, resultar em grandes diferenças que freqüentemente não conseguimos antever”.
Separem tempo para se tocarem diariamente. Carinho e carícias fazem bem à saúde física e emocional. Se abracem. Andem de mãos dadas. Descubram coisas que os façam rir juntos. Rir aproxima as pessoas. Quanto mais vocês rirem juntos, mais se amarão. Um casamento sem senso de humor, é como uma carroça sem molas: sacudida por cada pedrinha da estrada. Estabeleçam metas conjugais e as persigam. Deus nos ajude. Amém.

 Antonio Francisco

Nenhum comentário:

Postar um comentário