Um Recado Para Você!

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Aprendendo a Pedir Perdão


 “Eu teria a maior facilidade para perdoar você, mas você não pediu perdão!”
“Eu pedi sim”.
“Pediu nada. Eu não lembro de ter ouvido”.
“Mas eu falei. Disse que reconhecia que o erro tinha sido meu”.
“Mas isso não é pedir perdão”.

Quantas vezes você já ouviu ou já falou essas palavras? Com algumas variações, essa parece ser a realidade de muitas pessoas casadas. Elas acham que não há jeito de se desculparem com a outra pessoa, pois para elas, a pessoa não entende. Elas têm certeza de ter reconhecido seu erro e pedido perdão, mas a outra pessoa não consegue entender isso.

Sabe por que isso acontece? Porque, da mesma forma que o amor dizer eu te amo não é a única maneira de demonstrar amor, dizer “me perdoe, por favor” também não é a única maneira de se desculpar. Algumas pessoas precisam de outras demonstrações. Algumas pessoas precisam ter a certeza de que a outra pessoa entendeu exatamente o que ela fez de errado. Muitas vezes, perdemos oportunidades de crescermos como casal porque não reconhecemos o quanto precisamos pedir perdão da maneira correta. Não é tão importante o que a pessoa fala, quanto é importante o que a outra pessoa entende.

A necessidade do perdão

Em primeiro lugar, precisamos reconhecer que numa vida a dois, sempre haverá momentos em que seja necessário se pedir perdão. Pensem comigo, um lar formado por duas pessoas diferentes, vindo de contextos de vida diferentes, tendo uma visão de vida diferente, como podem concordar sempre em tudo? Como terão capacidade de nunca discordarem de nada?

O fato que deve ficar claro é que um casamento feliz não é aquele que é feito sem brigas, mas aquele que é formado por duas pessoas que não demoram a perdoar, nem têm dificuldade para fazer isso.

Uma das grandes dificuldades do casamento é que quando duas pessoas discordam, ambas sentem como se estivessem sendo desafiadas pela outra pessoa. Elas se esquecem que não estão discutindo com um inimigo, para ver quem ganha. Estão discutindo com o amor da vida, com a pessoa que deve ser a companheira enquanto ambos viverem. Se pensássemos mais nisso, teríamos menos dificuldade em encontrar logo o ponto de apoio, e perdoar a outra pessoa.

O problema é que muitas pessoas não acham que precisam perdoar. Algumas delas, por causa dos traumas da infância, das experiências negativas quando eram adolescentes, ou por terem vindo de um lar no qual os pais nunca levavam em conta a opinião delas, e sempre impunham o que desejavam, se tornam adultos, cônjuges, tão duros quanto rochas, sem qualquer perspectiva de serem capazes de perdoar à outra pessoa. Esse tipo de pessoa não desiste de fazer valer sua vontade, mesmo que tenha de usar de grosseria em alguns momentos. Para essas pessoas, quero dizer que a verdadeira grandeza, a verdadeira maneira de se impor diante de uma situação é reconhecendo que pedir perdão é a maior vitória. O exemplo mais claro disso é o que aconteceu com Jesus na cruz. Ele era o vencedor, o mais poderoso, e era o injustiçado naquele momento. Mas Ele foi quem pediu ao pai para perdoar seus ofensores.

Da mesma forma, devemos, mesmo que estivermos certo, ser capazes de dar início ao ciclo do perdão. Em uma discussão matrimonial, quando um ganha a discussão, os dois perdem. O foco deve ser a harmonia, o chegar a um acordo.

Assim, se nas discussões diárias, você e seu cônjuge entrarem num conflito, não faça valer sua vontade, ou faça questão de deixar claro o que pensa. Pense em Cristo na cruz, respire fundo, e seja a primeira pessoa a pedir perdão. Sim, é exatamente isso que você ouviu. Você é o primeiro a pedir perdão. Ou porque está discutindo algo que não precisa ser discutido, ou porque se esqueceu de conversar, e permitiu que as emoções tomassem conta do diálogo de vocês. Peça perdão. Mas peça do jeito certo.

As Linguagens do Perdão

Esse tema, das linguagens do perdão estou retirando do livro com esse mesmo título, de autoria de Gary Chapman. Apresento abaixo as linguagens, esperando que você possa usá-las para entender como pedir perdão para sua esposa, ou marido.

Expressando Arrependimento. Nesse caso, usam-se frases e palavras como “Sinto muito”, ou “Sinto-me péssimo porque fiz algo que lhe magoou tanto”. Nesse caso, esse tipo de linguagem se identifica com as emoções produzidas na outra pessoa. Diz respeito às frustrações e mágoas produzidas pelo ato ou pela atitude tomada. Com essa linguagem, o que se procura dizer é que você entendeu que causou um tipo muito sério de mágoa na outra pessoa.

Aceitando a Responsabilidade. “Eu estava errado. O que eu fiz não tem desculpa. Não devo fazer coisas assim”. Mas, nesse caso, você precisa reconhecer literalmente o que você fez. Muitas vezes, um cônjuge chega e pede perdão. A outra pessoa se vira e pergunta: “Você está pedindo perdão por que, mesmo?” E a primeira pessoa fica sem resposta. Esse tipo de pedido de perdão envolve a capacidade de reconhecer com todas as letras a razão pela qual você sabe que magoou ou que começou a discussão com a outra pessoa.

Fazendo a Restituição. Para algumas pessoas, só as palavras não são suficientes. É necessário que a pessoa também demonstre, por meio dos atos, seu arrependimento. Assim, ela espera que a pessoa que está pedindo perdão também faça algo, demonstre que está arrependida e que vai agir diferente. Por exemplo, se o problema é porque um não quer a televisão no quarto, e o outro deseja, se você quer pedir perdão, além de dizer “me perdoe” você vai e tira a TV do quarto. Não adianta você apenas pedir perdão, e não fazer nada a respeito. Para esse tipo de pessoa, o perdão só é verdadeiro se mudar alguma coisa de maneira concreta.

Arrependimento Genuíno. “Estou realmente arrependido pelo que fiz”. Se isso for realmente seu pensamento, deixe isso claro por meio de suas palavras e atos. Se seu erro diz respeito a alguma atitude imoral, que não deve estar presente em um casamento que segue os princípios bíblicos, se comprometa a nunca mais fazer isso, e cumpre sua promessa, na força que Deus concede. Se for um problema de personalidade, não prometa que nunca mais vai repetir, porque muito provavelmente esse problema aparecerá.

Pedindo Perdão. “Você pode, por favor, me perdoar?” Esse tipo de linguagem envolve falar isso com todas as palavras. Algumas pessoas precisam ouvir isso de maneira completa. E, para você fazer isso, você precisa demonstrar, por suas palavras, humildade. Fazendo assim, a outra pessoa vai se sentir mais capaz de perdoar você.

As linguagens são várias, mas o mais importante é que você tenha o sentimento de perdoar, ou de pedir perdão. Se não consegue perdoar, peça para que Deus lhe coloque esse desejo no coração, e lhe lembre o quanto que o Senhor perdoa os erros que você mesmo comete. Não se esqueça que o Senhor está pronto a ouvir esse tipo de oração. Ele pode colocar o perdão em seu coração, por mais difícil que possa parecer.

Que Deus abençoe sua família,

Osmar Reis Junior
Psicólogo do CEAFA

Nenhum comentário:

Postar um comentário