Um Recado Para Você!

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

PECADOS DAS MULHERES EM AMÓS


PECADOS DAS MULHERES EM AMÓS


(Amos 3 :15;  e 4.1-3)
Mãe, eu sei que esta é uma data mais apropriada para realçar seus valores. Isso é uma tradição. Com certeza você já ouviu sermões sobre Pv 15.1; Jz 5; Pv 31; II Tm 1.5; mas hoje peço sua permissão para trabalhar um texto que, tenho certeza, você jamais ouviu num Dia das Mães.
O livro de Amós é um livro de repreensão à nação de Israel que está prestes a ser visitada com uma disciplina irreversível, irremediável e definitiva quanto ao seu futuro da parte do Senhor – ela será exterminada! É o último apelo, o último toque da trombeta de Deus, a última advertência. O profeta repreende os reis, os sacerdotes, os líderes, os juízes, o povo de um modo geral e, nestes versículos ele está trazendo uma palavra de repreensão às mulheres que, com certeza, também eram mães. E como disse Miquéias, continuador do seu ministério 20 anos mais tarde: “Sim, as minhas palavras fazem o bem aos que andam retamente” (2.7)
A repreensão dirigida àquelas mães, e que hoje, já que “toda Escritura foi escrita para nosso proveito” também é dirigida às mães atuais, é a seguinte: vocês contribuíram para a ruína espiritual da nação, dos vossos maridos e, assim, abriram brechas que determinaram esta ruína
Brechas são fendas, buracos por onde entram invasores, coisas não desejáveis. Nenhuma mulher prudente deixaria brechas em sua casa, especialmente se ela tem medo de baratas, insetos. Mas o profeta está falando de coisas bem piores.
QUE BRECHAS SÃO ESTAS?
I – A BRECHA DA AVAREZA
Pelo contexto, com certeza a brecha da avareza, da ambição, através da qual, com suas exigências dispendiosas, estavam levando seus maridos a praticar injustiças para satisfazer seus caprichos de obter mais e mais lucro e poder. Apesar de pretensamente religiosas (vs 4,5), eram insaciáveis (v 1)
Esposa, seu marido está endividado por sua causa? Ele não pode dar o dízimo por sua causa? Ele tem cometido injustiças, negócios escusos, tem cometido pecados pressionado por suas exigências?
Ele está sem saúde por sua causa? Ele tem que trabalhar demais por sua causa? Ele não pode dar a atenção suficiente aos filhos por sua causa?
Mulheres são muito dadas à competição umas com as outras, indo do campo religioso às finanças, ao status econômico-social-intelectual. Ouvimos isso não de um homem, mas de uma mulher, num grande culto das “Mulheres Virtuosas” aqui tem te afetado? Responda sinceramente diante de Deus. Para você ser sincera, responda algumas perguntas:
Eu gasto mais do que ganho?
Eu sou plenamente feliz com o que Deus tem me dado?
Que efeito tem dentro de mim as bênçãos de Deus, vitórias e conquistas das minhas amigas? Compro coisas, objetos, roupas com motivação não bíblica?
Enquanto a mulher de Pv 31 trabalha, é generosa, reparte, acode o necessitado, ajuda o marido economizar e poupa para os dias maus, esta mulher gasta e coloca as finanças do marido e da casa em ruínas. Enquanto a mulher sábia de Pv 15.1 constrói, edifica o lar; esta destrói
POR ESTAS BRECHAS ENTRAM MUITOS INIMIGOS QUE, NO DECORRER DO TEMPO IRÃO ARRUINAR A VIDA ESPIRITUAL DA FAMÍLIA
II – A BRECHA DA VAIDADE
Em 3.15 isso está evidente. O consumismo destas mulheres conduzia aos excessos, à luxúria. Como saber se você abre esta brecha em sua casa? Responda estas perguntas:
-realmente você precisa de tudo o que compra?
-você já teve a experiência de comprar algo e chegando em casa não ter o que fazer com aquilo? Ver que não cabe, não gosta mais? Imediatamente dá de presente a alguém?
Você compra motivada pela moda imposta pelas revistas especializadas, TV, jogo inconsciente da competição ou realmente por necessidade e para a glória de Deus?
Como está teu quartinho de bagunça? Se você mudasse hoje, realmente levaria tudo que tem? Lendo I Pd 3.3-4 você não se sente desconfortável diante desta recomendação divina?
A brecha da vaidade coloca no centro da tua vida teu ego e não a glória de Deus? Valores supérfluos e não essenciais do reino? A vaidade faz com que seu exterior seja mais importante do que seu interior?
III – A BRECHA DO CULTO FALSO
Vejam os vs 4 e 5. O que antes eram lugares de memórias sagradas – Gilgal e Betel, agora eram símbolos de idolatria. É interessante como uma mulher é perfeitamente capaz de descrever como a irmã fulana estava vestida no culto tal, como comprara uma nova bolsa, como seu brinco era desse ou daquele jeito, formato; fulana cortou o cabelo e ficou ótima; não combinou com seu rosto. Será que conseguiria descrever o sermão com a mesma fidelidade? Dizer quais os hinos cantados já ao término do culto?
Estas mulheres continuavam indo regularmente à Casa do Senhor, oferecendo sacrifícios, cumprindo seus ritos religiosos, mas seus corações estavam longe de Deus. O profeta usa uma linguagem sarcástica para afirmar que a motivação pela qual elas tinham prazer do Senhor era outra
Conclusão
Mãe, faça a você a mesma pergunta que o profeta Eliseu fez à sunamita: mulher, vai tudo bem contigo? Como está teu mundo interior? Há harmonia entre os princípios da Palavra de Deus e sua filosofia de vida? Você tem permitido a brecha da avareza em sua casa, caracterizada pela ambição, pela cobiça, pelo querer ter mais a qualquer preço, sacrificando sua saúde (como as mulheres estão doentes. Algumas doenças têm caracterizado nossos dias, doenças que sabemos estarem associadas ao estresse, ao viver sob pressão, desgaste constante). Será que tem que ser assim? Quantas aqui precisam urgentes da Super Nani? Por que nossos filhos estão como estão? Às vezes não é uma simples questão de sobrevivência, mas a brecha da avareza.
Na época do profeta Amós (Jeroboão II) o “progresso” e a “civilização” tinham levado o povo a se esquecer das virtudes espirituais, de uma filosofia de vida centralizada na piedade, entregando-se a uma competição consumista. O desenvolvimento internacional do comércio da época abriu espaço para uma cultura, uma filosofia de vida caracterizada pela vaidade, que é idolatria e desemboca num culto falso. Eu sei que casa de inverno, casa de verão, casa de marfim não é a realidade de ninguém aqui, mas se o padrão de vida que você lhe impõe, impõe ao seu marido, à sua casa faz vocês viverem endividados, enrolados financeiramente, com o nome no SPC, o pecado é o mesmo; a brecha é a mesma. Aqueles maridos tinham culpa, sim; mas por trás de suas culpas, estavam mulheres avarentas, vaidosas, insaciáveis, idólatras.
Mas nosso Deus sempre termina com um convite à restauração, à bênção, a colocar um ponto final nestas brechas e tomar posse de suas bênçãos, de suas promessas (9.11-15). Você quer? Tome essa decisão agora! Abençoe seu marido, sua casa, seus filhos, a vida espiritual da sua família. (Pr. Genevaldo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário