Um Recado Para Você!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

MELHOR É SER DOIS DO QUE UM!



MELHOR É SER DOIS DO QUE UM!

"Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade. 

Salomão, filho de Davi, foi considerado por Deus, o homem mais sábio de todos os tempos. Este, além de seus feitos, escreveu diversas crônicas, poesias e provérbios que volta e meia utilizamos em nosso dia a dia, muitas vezes sem percebermos. 
O Capítulo 4 de Eclesiastes nos versos de 9 a 12 serve-nos de exemplo, quando vemos Salomão nos falar do valor de um relacionamento amigável entre duas pessoas que tem propósitos e alvos definidos. Quando olho para este texto me pergunto. Por que ele não é realidade na vida de muitos casais? O que estamos, na verdade presenciando em nossos dias, é justamente o oposto deste provérbio proferido por Salomão. 
Veja bem: Salomão nos diz: “Melhor é serem dois do que um” O casal precisa ser unido de fato e verdade. No casamento existe uma aliança, um elo, um compromisso, uma cumplicidade que envolve amor, companheirismo, dedicação, prazer sexual, lealdade, honestidade, fidelidade, amizade, etc. São duas vidas que se fundem numa só. Uma só carne. 
É impressionante o pensamento de alguns homens ou mulheres que acham que depois de casados podem ainda continuar com a mesma vida que tinham, quando estavam solteiros. Tentam manter a todo custo as velhas amizades, criando uma série de contratempos para com seu cônjuge. Esta atitude de liberdade do parceiro, com certeza traz abalos, e terríveis terremotos no relacionamento do casal quando partem para os exageros. 
A solidão e o descaso são os primeiros sinais, de que algumas coisas não estão bem. De fato, os dois precisam estar juntos, cada qual levando a carga do outro. Assim fazendo, o peso será menor. Se um cair, o outro pode levantá-lo. No tempo do frio, a Bíblia diz que se aquentarão. Dois são mais fortes do que um quando as lutas vierem, quando os filhos adoecerem, quando o desemprego bater na porta, quando a saudade da casa paterna chegar ao coração, principalmente nos primeiros meses de casados. 
Dois são melhor do que um porque: 
Irão resistir mais facilmente as tormentas da vida. 
Irão compartilhar melhor as alegrias e tristezas e com certeza serão fortes e provaram das benção de Deus sobre as suas vidas. 
A Bíblia neste texto de Salomão faz também referencia ao cordão de 3 dobras que não se quebra, não se arrebenta facilmente. De fato, a terceira dobra, para que não sabe é a presença de Jesus Cristo solidificando uma relação a três. 
Um lar onde Jesus é Senhor não se arrebenta, não é destruído, não existe separação de corpos, não existe divórcio. 
Jesus é o elo maior, é a dobra maior que segura os relacionamentos mais difíceis e complicados. 
O cordão de três dobras é feito de um material resistente. Não é feito de linha ou barbante. É um cordão feito com fios resistentes até mesmo a prova do tempo. Neste cordão, o Poder de Jesus está presente. Nos fios deste cordão o Sangue de Jesus é passado todos os dias e, por conseguinte nada poderá destruir este relacionamento. 
Para refletir 
Amigo(a) Como está o seu relacionamento conjugal? Está por fio, como dizem por aí? 
Seu casamento está solidificado ou não com a presença de Jesus Cristo? Talvez você esteja vivendo uma realidade difícil em seu relacionamento conjugal e familiar. 
Quem sabe você está vendo o seu casamento se desmanchado dia pós dia. 
Talvez o fio que tem ligado vocês não é um cordão com três dobras e por conseguinte resistente. Talvez a sua pergunta seja. O que devo fazer para salvar o meu casamento? 
A única coisa sábia a fazer: 
Você se entregar sem reservas ao Senhor Jesus Cristo. Além de sua Salvação. Ele quer dirigir a sua vida e os seus relacionamentos. Jesus conhece as suas inclinações e a intenção de seu coração humano e a dureza do mesmo em achar que você pode conduzir a sua vida sozinho(a) Jesus Cristo é seguramente a sua única e satisfatória solução. 
Solução que você não vai encontrar em benzedeiros, em cartomantes ou em visitas a centros espíritas ou centros de macumba. Não é colocando fita no braço ou fazendo penitência ou adorando santos do tipo Antônio que nada mais é do que imagem de barro ou de granizo. 
Não é consultando horóscopo, nem adivinhos, nem fazendo as famosas correntes de novena. Ou praticando Ioga ou enchendo a sua casa de objetos de feitiçaria ou da nova era. 
Nem mesmo na mãe de Jesus você vai encontrar alguma coisa. Ela deixou as obrigações de mãe quando morreu. Só na pessoa de Jesus é que você encontrará as respostas para os seus problemas conjugais e familiares. 
Lembre-se: “Melhor é serem dois do que um. Um cordão de três dobras não se arrebenta facilmente”. Jesus quer estar dirigindo a sua vida e família. 
                                                             Pr. Nélson R. Gouvêa. 

COMO SER VITORIOSA NO RELACIONAMENTO SEXUAL?


COMO SER VITORIOSA NO RELACIONAMENTO SEXUAL?
Deus fez as mulheres com desejo de vencer. Na infância quando brincamos, queremos vencer os meninos, na adolescência os complexos, na juventude as conquistas e por fim quando se assume o casamento, se quer vencer como mulher, e mãe.
Tudo isso porque não ser vitoriosa tem haver com o pecado e não com mulheres de Deus que tem a Jesus como Senhor e Salvador. Em João 16.33, Ele disse: “Eu venci o mundo, em Romanos 8.37 o apóstolo Paulo diz que somos mais do que vencedoras porque Ele nos ama.

A grande questão é: Será que sexualmente as mulheres cristãs têm realmente sido vencedoras e felizes? Será que estão vivendo a plenitude do que Deus reservou para as que O temem? Será que podem dizer que são plenamente realizadas? Infelizmente isto não é o que a realidade tem mostrado. Uma grande maioria não pode hastear a bandeira de vitória na área sexual.

São mulheres que não vivem na verdade, mas que vegetam, que fingem estar vivendo. Frustradas, nervosas, com baixa-estima, deprimidas, insatisfeitas e por aí vai. Será que você que está lendo este artigo faz parte delas?

Deus não está contente com isto; através da sua Palavra, que orienta sobre qualquer situação, é possível encontrar meios de viver uma vida sexual vitoriosa.

O primeiro caminho é a oração. Talvez você pense: Mas eu venho orando há muito tempo são anos de decepção ou você pode pensar: se o problema é da “carne” como é que a oração vai resolver? Pensar assim mostra o quanto desconhecemos o interesse de Deus em todas as áreas da nossa vida, e por cada situação que vivemos.

É necessário desenvolver um relacionamento íntimo com Deus, ao nível de declarar as frustrações e decepções a Ele. E mais do que isto suplicar capacidade de tratarmos a questão através do diálogo de maneira sábia.

O senso comum diz que a mulher fala muito, que falam pelos “cotovelos”, mas falar é diferente de se comunicar. Esta é a grande diferença.

Comunicar-se, expondo o que sentimos, o que vai dentro do coração é uma arte e uma tarefa que requer aprendizado. Quantas mulheres são tomadas pelo medo, pela tensão, pela insegurança e preferem calar, engolir as mágoas, e continuar tolerando a insatisfação, do que falar com o esposo sobre o assunto.

Para ter uma vida sexual vitoriosa temos que incluir na oração nossa debilidade em se comunicar e aí então partimos para a segunda parte, que é o diálogo.

Reinaldo Polito, grande autoridade da comunicação diz que nos comunicamos por três níveis: superficial, intelectual e emocional.

Superficial é a comunicação que acontece quando você entra no elevador, ou quando encontra um vizinho ao sair para trabalhar. Nada acrescenta.

Quando você pode emitir sua opinião sobre determinado assunto, comunica-se a nível intelectual. Mas melhor do que estas duas formas de se comunicar, é a comunicação emocional, onde o coração fala. É a que você consegue expressar tudo o que está no intimo do seu ser.

Alguns casais podem viver anos de casamento e desenvolverem apenas a comunicação artificial e intelectual, mas não desenvolvem a emocional. Não se sentem íntimos a ponto de expressarem o que realmente sentem sexualmente; embora dividam a mesma cama.

Quando Provérbio diz que a mulher sábia edifica sua casa e a tola com as próprias mãos a destrói (Pv. 14.1), compreende-se que Deus confiou a mulher à capacidade de viver sua vida conjugal, sexual saudável, vitoriosa ao saber comunicar-se; considerando que ela não só fala, mas que se comunica.

Não se acomode a uma situação pelo tempo que ela está instalada na sua vida; mas busque em Deus viver como Ele idealizou pra você. Creia que Ele vai ensiná-la como se expressar, em que momento, a melhor forma de comunicar a seu esposo suas insatisfações para que você possa hastear a bandeira de vitória no relacionamento sexual.

Guiame

AS QUATRO ESTAÇÕES DO CASAMENTO




 Todos sabemos quais são as quatro estações do ano: Primavera, verão, outono e inverno. 
A primavera é a estação das flores, o verão é a época do calor, o outono é a época das frutas e finalmente o inverno é a época do frio.
A Palavra do Senhor nos diz: "Tudo tem seu tempo determinado e há tempo para tudo debaixo do céu." (Ec 3.1).
Vejamos então como se apresentam as estações.

A Primavera
A característica mais marcante da estação é o reflorescimento da flora e da fauna. Muitos animais aproveitam a temperatura ideal da estação para se reproduzir.
Na Primavera matrimonial se reconhecerá essa estação quando chegar também o tempo de se reproduzir. "Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra" disse o Senhor (Gn 1.28).
Na primavera os dias ficam mais longos. Certamente isso poderá ser bem aproveitado: No livro dos Salmos 30:5 lemos : "...O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã".
Para os casais é sempre bom lembrar que depois do inverno a primavera há de chegar. Cantares de Salomão 2.11: "Porque eis que passou o inverno, cessou a chuva e se foi; aparecem as flores na terra, chegou o tempo de cantarem as aves, e a voz da rola ouve-se em nossa terra. A figueira começou a dar seus figos, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, querida minha, formosa minha, e vem".

O Verão
Suas principais características são dias longos e quentes (temperatura elevada), mas também possui dias geralmente chuvosos. Por possuir dias quentes, a tendência é acontecer evaporação da águas e com isso acontecer a precipitação, ou seja, a formação das nuvens de chuva.
No casamento o verão é muito importante. No amor é preciso calor e muita intensidade, mas é preciso ter cuidado com a precipitação, não podemos permitir que ela nos apanhe desprevenidos. Geralmente no casamento quem se precipita, tem sempre algo do que se arrepender.

O Outono
O outono é a estação que marca a transição entre o verão e o inverno. O outono é conhecido como a estação das frutas. Por ser uma fase de transição entre o verão e o inverno, o outono apresenta características de ambas as estações: redução de chuvas, mudanças bruscas no tempo, nevoeiros em algumas regiões.
Entre outras características do outono, podemos citar o fato dos dias e das noites terem a mesma duração. Devemos ter muito cuidado quando no casamento chegarmos à estação do outono para que não mergulhemos na "mesmice" e corramos o risco da monotonia.
No outono matrimonial será tempo de frutificar. Ezequiel 47:12 afirma: "Junto ao rio, às ribanceiras, de um e de outro lado, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer; não murchará a sua folha, nem faltará o seu fruto; nos seus meses, produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário; o seu fruto servirá de alimento, e a sua folha, de remédio".

O Inverno
Inverno é a mais fria estação do ano. O inverno é caracterizado, principalmente, pelas baixas temperaturas. Durante a estação, várias espécies de animais, principalmente de pássaros, migram para outras regiões mais quentes.
Se no matrimônio o casal não está atento à chegada do inverno matrimonial, as coisas podem se complicar. Pois no inverno, quando o relacionamento é frio, e tudo parece cinza ao redor, é quando um dos cônjuges acaba por escolher "migrar" para outras regiões. Vai à procura daquilo que sente falta na relação matrimonial.
Outros animais, como ursos, hibernam no inverno, reduzindo grandemente sua atividade metabólica. Em muitas regiões, pode ocorrer a incidência de neve e geadas.
Geralmente no período do inverno matrimonial somos tomados por um instinto de "hibernar". É aquela estação de nossas vidas onde não desejamos realizações, falta-nos motivação suficiente para caminhar.
Quando o inverno matrimonial chegar será preciso estar muito atento. Provérbios 20:4 diz: "O preguiçoso não lavra por causa do inverno, pelo que, na sega, procura e nada encontra".
O inverno matrimonial é um tempo que requer do casal o andar juntinho. Em Eclesiastes 4:9,11 está escrito: "Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará?"
Essa é uma boa orientação para enfrentar o inverno matrimonial.
Antonio Vivaldi (1678- 1741), padre veneziano contemporâneo de Bach, que nos legou belas composições, descreveu as melodias das estações no concerto "As Quatro Estações".
"As Quatro Estações", a peça mais famosa de sua obra, faz parte de 12 concertos denominados O diálogo Entre a Harmonia e a Criatividade. "Nessa série, se acentua a tendência ao sentido pitoresco que resulta na tentativa de se expressar, musicalmente, fenômenos da natureza ou sentimentos, como a primavera, o verão, o outono e o inverno.
O que dizer das quatro estações de Vivaldi? Fantástico. Apliquemos contudo o título de sua obra ao casamento.
Primeiro o Diálogo - Sabemos que diálogo é uma conversação estabelecida entre duas ou mais pessoas. O Outono (estação do ano) é o exato diálogo do Verão com o Inverno. Com isso reconhecemos aqui a importância do diálogo também nas estações do matrimônio.
Deus propôs para o casamento o diálogo: "Não é bom que o homem esteja só" (Gn 2.18). Se Deus desejasse que a vida fosse um MONÓLOGO, Deus permitiria ao homem viver sozinho.
O diálogo entre o Marido e a Mulher, ou a falta dele, afetarão diretamente o diálogo e o relacionamento do casal com Deus. Vejamos: "Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações" (1Pedro 3.7).
Em segundo lugar a Harmonia - Em se tratando de música, e disso entendia Vivaldi, a harmonia é o campo que estuda as relações. Para que a música seja harmônica você deve obedecer a uma série de normas.
No casamento não é diferente, é preciso um cuidado profundo nas relações, para não prejudicar a harmonia.
Na música a função principal do sistema tonal é a tônica. A questão toda se resume na tônica ou seja, na aproximação (dominante) e afastamento (subdominante).
No casamento precisamos, para uma boa construção harmônica, considerar a "dominante".
Efésios 5.22 - Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor;
Efésios 5.25 - Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela.
Analisado essa regra harmônica, e respeitada a "tônica" que nos foi colocada, não há como desafinar na relação marido e mulher.
Por último a Criatividade - Um dos principais 'combustíveis' para a criatividade é a imaginação. Pessoas criativas estão sempre dispostas a enxergar novas possibilidades e buscar novas relações entre as coisas.
A criatividade se apresenta através de duas linhas de raciocínio: o divergente e o convergente.
Pr. Carlos Elias

Perdão e Casamento



Perdão e Casamento

Deus criou o relacionamento conjugal:
*  Uma relação única na experiência humana - Não há nenhum outro relacionamento tão íntimo e gratificante.
*  O casamento nos obriga a viver com outra pessoa na mais íntima união conhecida pela humanidade.
* Essa intimidade pode ser intimidante. Somos obrigados a revelar o nosso verdadeiro eu, muitas vezes com medo de sermos rejeitados.
*  Uma vez que vencemos o medo da transparência, descobrimos que não existe relação mais maravilhosa e prazerosa.
*  Nessa união divina, temos a oportunidade de perdoar e amar como Deus nos ama.

1. Perdoar é uma escolha!

*  O perdão é maior prova de amor no casamento.
*  O perdão dá oportunidade ao outro de ser hoje quem não era ontem.
*  Perdoar liberta tanto o ofensor quanto o ofendido.
Você se lembra da história da prostituta arrependida que banhava os pés de Jesus com as suas lágrimas e enxugou-os com seus cabelos (Lucas 7.36-50)? Depois que ela realizou esse ato de respeito e amor, Jesus contou a história de dois homens que deviam dinheiro a um mesmo credor. Um devia 500 denários, e o outro apenas 50. A história revela muita coisa.

*  A dívida do primeiro era enorme, impagável, não havia nenhuma possibilidade dele quitar a dívida.
*  O único meio de o devedor ser livre da dívida, era receber o perdão do credor. O credor, graciosamente, tinha que cancelar a dívida.

Ao contar a história, Jesus fez a seguinte pergunta: "Qual dos homens será mais agradecido ao credor?" A resposta é óbvia - aquele que foi perdoado da maior quantia. Perdão gera o amor na sua forma mais plena. Quem muito é perdoado, muito ama.

2. Devemos perdoar ainda que os erros sejam repetitivos (Mateus 18.19-21).

*  Perdão generoso, ainda que ajam faltas reincidentes, gera amor profundo e duradouro.
*  Perdoar "setenta vezes sete" significa perdoar sempre.
*  No casamento, determinadas infrações serão repetitivas - conte com isso!
*  Alguns casam com uma lista pronta das coisas que seu cônjuge tem que fazer ou não fazer. As exigências podem levar o outro à borda da insanidade.
*  Cada pessoa tem seus hábitos, alguns irritantes, que mesmo depois de casados, são persistentes, não importa o que o outro diga ou faça!
*  Perdoar é essencial para o crescimento, amadurecimento e mudança do relacionamento.

3. Não contabilize erros, perdoe imediatamente (Efésios 4.26,27).

Todo casal deveria ter Efésios 4.26 gravado numa placa bem visível acima da cama: "Não deixe o sol se por, enquanto você ainda está zangado." Ou parafraseando: "Perdoe ou perca o sono!" A mensagem é clara - não durma até esclarecer tudo o que tem prejudicado o seu relacionamento durante o dia. O fluxo de adrenalina que alimenta a raiva os manterá acordado.
Quem adia ou deixa o perdão:

*  Permite que o desejo de perdoar acabe.
*  Permite que o coração endureça e permaneça fechado.
*  Permite que os afazeres do dia a dia impeçam a reconciliação.
*  Permite que interferências negativas.
*  Permite a ação do diabo.

Quem não conversa e perdoa rapidamente - especialmente antes de o dia terminar faz dívidas enormes e em longo prazo. Ou você paga suas contas ou as faz em curto prazo ou pagará um juros altíssimo pela sua teimosia.

*  Não permite os avanços do outro.
*  A sua relutância acaba por incomodar o seu cônjuge que também se recusa a perguntar o que está acontecendo.
*  O outro simplesmente se vira e dorme.
*  Você não entende como o outro não se dá conta do que fez e fica mais zangado.
*  A calma e "cara de pau" do outro é irritante.
*  Você luta para conseguir dormir. Sua raiva cresce cada vez que você ouve o ronco.
*  No dia seguinte você acorda sentindo-se mal. A raiva não resolvida torna-se um ponto de apoio para o grande destruidor das famílias.
*  Ao deixar de lidar com as ofensas, você deixa de agir sobre um princípio divino para agir sobre um princípio satânico.

4. O perdão sara, fortalece, e amadurece a união conjugal!
*  O casamento é diferente de qualquer outro relacionamento.
*  Só no casamento podemos ser forjados em uma emocional e espiritual união física.
*  Falta de perdão interrompe essa unidade em todos os níveis
*  Falta de perdão perturba a unidade emocional.
*  Pior de tudo, rompe sua unidade espiritual.
*  Vocês vão parar de ler a Bíblia e orar juntos, ou praticarão as devoções como hipócritas, fingindo estar tudo bem - quando não está!
*  Jesus advertiu-nos para não oferecer oferta no altar, quando houver algo entre nós (Mateus 5.23-24).
*  Paulo nos instrui a examinar a nós mesmos antes de celebrar a ceia do Senhor (I Coríntios 11.27-29).
*  Esse autoexame inclui os relacionamentos horizontais em especial a relação do casamento.
*  Se seu casamento está em desordem, a sua capacidade de desenvolver-se espiritualmente está em perigo.
*  Leia Pedro 3:1-7. O que Pedro 3.7 afirma?
*  Quando o casal não se compreende e obedece a Palavra, suas orações são impedidas.
*  A unidade do casamento depende de cada parceiro. Eles perdoam continuamente para restabelecer a sua relação única.
*  O ato de perdoar faz o casal experimentar a graça de Deus enquanto dá um ao outro o que Deus tem graciosamente dado a cada um.
*  Perdoar é a única maneira de manter a saúde e a unidade da relação.

5. Aprendendo a se apaixonar de novo - a arte de manter um bom 
casamento!


*  Quando você se casou sua primeira emoção falou mais alto.
*  Tudo culminou com uma lua de mel maravilhosa.
*  Romance, paixão, celebração e prazer.
*  Você estava certo de que nada poderia ficar entre você e seu cônjuge.
*  O romance manteve as suas emoções alteradas e o amor superou os desentendimentos, a raiva, e a dor.
*  Ora, se a paixão e romance eram mais fortes do que as dificuldades.
Está claro o que precisamos fazer?
*  Mantenha acesa a chama do amor. O desejo de amar deve ser mais forte do que qualquer desentendimento.
*  Aprenda a perdoar e buscar a cura emocional.
*  Cuidado para que expectativas irreais do casamento o façam vulnerável.
*  Não espere o romance continue como se fosse uma febre - a paixão existe - mas ela vem e vai.
*  Quem não é capaz de perdoar e renovar o amor fará com que o casamento torne-se emocionalmente falido, emocionalmente morto.
*  A maioria dos casamentos pode sobreviver a uma grande dose de estresse externo, mas poucos casamentos sobrevivem à morte emocional.
*  Perdão, reconciliação e luta pela unidade são essenciais para a manutenção de um relacionamento emocional saudável.

6. Confrontar-se com cuidado e carinho.

*  Casamento exige uma relação de responsabilidade diante de Deus e do homem.
*  O desejo de enfrentar um ao outro pode ser a nossa primeira linha de defesa, mas além de nos afastar um do outro, nos afastará de Deus.
*  Quando um dos cônjuges nota que o outro está negligenciando as disciplinas espirituais deve motivar a mudança com delicadeza e doçura.
*  Mas nunca use Deus e a Bíblia como uma marreta.
*  A impaciência e a o "pavio curto" são sinais que a vida espiritual está ficando em segundo plano.
*  Confronte com sensibilidade e sabedoria (Salmos 51.17, 34.18, Tiago 4.6-10).
*  Não evite a confrontação quando alguma coisa que vai mal precisa ser abordada (Hebreus 3.9-13).
*  Quem ama não permanece em silêncio quando o outro vive um padrão autodestrutivo ou prejudicial a sua família, ou a causa de Cristo.

7. A reconciliação é OBRIGATÓRIA!

*  O perdão é necessário em todos os nossos relacionamentos - mas o confronto e reconciliação dependem das circunstâncias e do agir do Espírito Santo.
*  O casamento é a exceção. Deus ordenou a unidade do relacionamento conjugal. Ele exige que os maridos e as esposas não apenas perdoem uns aos outros, mas também tomem todas as medidas necessárias para assegurar a reconciliação!
*  Em muitos relacionamentos, pode haver uma lacuna entre o perdão e a reconciliação.
*  Pode haver intervalos naturais de separação. São lacunas do tempo que nos proporcionam a oportunidade de colocar nossas emoções sob controle e gastar tempo meditando sobre o assunto para receber o toque do Espírito Santo que nos levará em direção à reconciliação.
*  No casamento há exigências diferentes!
*  O casamento envolve viver juntos para sempre.
*  I Coríntios 7.1-5 nos ensina a viver juntos e partilhar unidade física juntos em uma base regular para evitar a tentação, só abstendo-se de união por curtos períodos de tempo e apenas para o jejum e oração; e assim mesmo se os cônjuges estão de acordo.
*  O casamento não é um relacionamento casual.
*  Devemos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que haja paz entre nós (I Pedro 3.11).
*  É preciso cultivar uma relação que reflita o tipo de inquebrável, união de amor que existe entre Cristo e Sua Igreja (Efésios 5.30-32).
*  No casamento, a reconciliação significa estar continuamente empenhado em proximidade, união e parceria divina.
*  Haverá ocasiões quando você precisa de espaço para lidar com conflitos interiores - mas, apenas o tempo suficiente para a questão ser resolvida.
*  Deus ordena que os casados se reconciliem - Faça o que for preciso para que o seu casamento se mantenha forte e saudável.
*  Siga a sua verdade - não as SUAS emoções!

8. PERDÃO - Um modelo para os seus filhos.

*  Seus filhos vão conviver com um mundo hostil. Relacionar-se é dolorido. Se eles não aprenderem a perdoar terão dificuldades irremediáveis.
*  Um dos melhores presentes que você pode dar aos seus filhos é o espírito perdoador que você exemplifica e ensina.
*  O casamento nos dá oportunidades diárias para incentivar e exemplificar perdão.
*  Use a rivalidade entre irmãos para ajudá-los o que não significa manter um registro dos erros cometidos.
*  Exija que eles peçam e recebam perdão.
*  Podem fazê-lo de má vontade, mas aprenderão o que fazer em situações de conflito.
Conclusões:
*  Aplicar essas verdades no meio das escaramuças das crianças é essencial, porém seu impacto é quase nada diante do seu exemplo como casal.
*  Seus filhos precisam ver que vocês se amam o suficiente para perdoar sempre.
*  Ao perdoar, seus filhos terão confiança e segurança para confessar erros e perdoar.
*  A disposição de perdoar seu cônjuge torna-se uma ancora estável para o seu lar.
*  Perdão e reconciliação são testados ao máximo entre marido e mulher.
*  Confronto terá de ser abordado com o máximo cuidado.
*  Não faça questão de estar certo, é a reconciliação que deve ser buscada e alcançada em sua totalidade.

Pr.  Silmar Coelho

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

O Valor da Familia


O Valor da Família


INTRODUÇÃO

Estudar sobre o valor da família é de muita importância para nós, pois, de uma forma ou de outra, nascemos numa família. Com exceção daqueles que são fruto da marginalidade, cada um de nós vem de uma família, seja pobre ou rica, desconhecida ou famosa, pequena ou grande, evangélica ou não. A família é a base de nossa vivência. Dela nascemos e dela dependemos na maior parte da existência. Isso é plano de Deus. Meditemos um pouco sobre o assunto.

1. PROJETO DE DEUS

1.1. O HOMEM NÃO TERIA CRIADO A A FAMÍLIA

O homem, na sua origem, talvez não criasse a família. Não saberia como fazê-lo. Depois da Queda, podemos ter certeza de que o homem jamais buscaria criar uma organização que haveria de lhe impor limites e regras de convivência, contrariando seus instintos pecaminosos e egoístas. Deus só fez u'a mulher para o homem e, mesmo assim, há uma tendência à poligamia ou ao adultério masculino e feminino. 

1.2. ORIGEM DIVINA PAI - MÃE - FILHOS

A família é uma instituição divina. Ela é tão importante, que foi criada antes da Igreja, antes do Estado, antes da nação. Deus não fez o homem para viver na solidão. Quaando acabou de criar o homem, Adão, o Senhor disse: "Não é bom que o homem esteja só. Far-lhe-ei uma adjutora, que esteja como diante dele" (Gn 2.18). Deus tinha em mente a constituição da família, mas esta não está completa só com o casal. Por isso, o Senhor previu a procriação, dizendo: "Crescei e multiplicai-vos e enchei a terra (Gn 1.27-28). Fica mais clara a origem da família, quando lemos: "Portanto, deixará o homem seu pai e e sua mãe e se unirá à sua mulher e serão ambos uma só carne" (Gn 2.24). "O homem" aí é o filho, nascido de pai e mãe. Deus fez a família para que o homem não vivesse na solidão (Sl 68.6; 113.9).

1.3. ATAQUES À FAMÍLIA

Por ser de origem divina, o inimigo tem atacado a família de maneira implacável. As tentações aos pais de família,principalmente na área do sexo e do mau relacionamento com os filhos tem sido constante; os ataques aos filhos, lançando-os contra os pais; dos pais contra os filhos; o problema das drogas, do sexo ilícito, da pornografia, deoutros vícios, do homossexualismo. 

2. ORIGEM DO LAR

2.1. CONCEITO

A palavra lar vem de lare (Latim), significando, etimologicamente, " a parte da cozinha onde se acende o fogo"; "a família"(fig.). Certamente, isso dá idéia de lugar íntimo, aconchegante. Daí, vem a palavra "lareira", onde a família se reunia para conversar, ao redor do fogo, principalmente nas noites e dias frios. Podemos dizer que o lar é o ambiente em que convive uma família. Hoje, a TV tem prejudicado a reunião da família. É um verdadeiro "altar".

2.2. CONDIÇÕES PARA QUE HAJA UM LAR

Um lar não é apenas uma casa, uma construção. Alguém pode morar numa pensão, num hotel, num quarto isolado, sem que possa dizer que vive num lar. Para que haja um lugar que possa ser chamado lar, deve haver algumas condições, tais como:

1) AMOR
2) HARMONIA
3) PAZ
4) RELACIONAMENTO SAUDÁVEL

2.3. O PRIMEIRO LAR

O primeiro lar foi criado por Deus. Era maravilhoso. Nele, antes da queda, havia amor; havia paz, união, saúde, alegria, harmonia, felicidade e comunhão com Deus. A vida não era de ociosidade, pois Deus colocou o homem no Jardim "para o lavrar e guardar" (Gn 2.15). Mas o trabalho era suave. Não havia desgaste físico e emocional, como se conhece hoje.Havia trabalho mas em compensação não havia doenças, nem dor, nem tristeza nem morte.

2.4. A PRESENÇA DE DEUS NO PRIMEIRO LAR

Diariamente, "....Deus,... passeava no Jardim,pela viração do dia...(Gn 3.8a). Era maravilhoso ouvir a voz de Deus diretamente de sua boca, contemplando Sua face. Hoje, mais do que nunca, é necessidade vital a presença de Deus nos lares cristãos. 

2.5. INTEFERÊNCIA DO MAL - A QUEDA DA FAMÍLIA

O homem podia comer de todas as milhares de árvores que havia no Jardim (inclusive da Árvore da Vida), exceto da "árvore da ciência do bem e do mal" (Gn 3.2-3). Tentado pelo diabo, o casal caiu, trazendo toda sorte de males para a família, inclusive a morte, que passou a todos os homens (Rm 5.12). Atualmente, a história se repete. Por ouvir a voz do "outro" , muitas famílias sofrem terrivelmente. 

2.6. A REDENÇÃO DA FAMÍLIA

Deus, que ama tanto a família, previu sua redenção ANTES da fundaçào do mundo (1 Pe 1.19-20). A primeira pessoa a ser tentada foi a mulher. E Deus ama tanto a mulher que prometeu a redenção da raça humana através " da semente da mulher" (Gn 3.15). Na "plenitude dos tempos, Jesus veio ao mundo, "nascido de mulher" (Gl 4.4.) para redimir a humanidade. 

3. JESUS E A FAMÍLIA

Nosso Senhor Jesus Cristo valorizou a família. Veio ao mundo através de uma família. Além de pais, teve irmãos e irmãs (Mt 13.55-57). Teve seu crescimento físico, social, intelectual e espiritual no seio da família (Lc 2.52). No seu ministério, não costumava a hospedar-se em hotéis, mas desfrutava da hospitalidade de um lar (Mt 8.14; Lc 10.38-42). Em muitos milagres, demonstrou seu cuidado para com a família (Mt 8.14-15; Lc 7.12-16). Seu primeiro milagre foi realizado numa festa de casamento (Jo 2.12). Ensinou-nos a orar, chamando Deus de"Pai Nosso"(Mt 6.9). Enfatizou o quarto mandamento, mandando honrar pai e mãe (Mt 15.3-6; Mc 7.10-13). Teve um trato especial com as crianças, abençoando-as (Mc 10.13-16). 

4. O RELACIONAMENTO FAMILIAR NA BÍBLIA

4.1. CONFLITOS NO LAR.

A bíblia nos mostra que os conflitos fazem parte da vida. Jesus disse: "no mundo tereis aflições..."(Jo 16.33b). Ele previu os problemas de relacionamento: "E assim os inimigos do homem os seus familiares" (Ver Mt 10.34-37).Sabendo que a família tem origem divina e é valorizada na Bíblia, precisamos entender e praticar o relacionamento cristão, a fim de que o inimigo da família não nos leve à queda como no princípio. 

4.2. COMO CONVIVER COM OS CONFLITOS

4.2.1.PRINCÍPIOS PARA OS PAIS

1) Ensinar a Palavra de Deus aos filhos no lar (Dt 11.18-21);
2) Ensinar o valor da oração aos filhos;
3) Realizar o culto doméstico (Gn 12.5-7)
4) Ensinar o valor da Igreja (Hb 12.23; Ap 21.9);
5) Preparar os filhos para a vida (Lc 2.52);
6) Ser afetivo com os filhos (1 Pe 3.8;4.8);
7) Não provocar a ira aos filhos (Ef 6.4);
8) Cuidar dos filhos, dando tempo para eles (l Tm 5.8).

Praticando esses princípios ou orientações, os pais evitam ou amenizam os conflitos no lar. 

4.2.2.PRINCÍPIOS PARA OS FILHOS

1) Os filhos são herança do Senhor (Sl 127.3);
2) Os jovens devem guardar a Palavra de Deus para não pecarem (Sl 119.9-11);
3) Os jovens devem obedecer e honrar pai e mãe (mesmo que não sejam crentes), PARA SEREM FELIZES NA TERRA; Ef 6.1-3;Cl 3.20; Exemplo dos filhos dos recabitas (Jr 35.1-6)
4) Os jovens devem ser sujeitos aos mais velhos (1 Pe 1.5a);
5) Os jovens devem ser sujeitos uns aos outros (evita briga entre irmãos) (1 Pe 5.5b);
6) Os jovens devem ser humildes (Deus resiste aos soberbos): 1 Pe 5.b; Deus exalta (1 Pe 5.6)
7) Os jovens devem lançar sobre o Senhor suas ansiedades (1 Pe 5.7; Sl 55.22; Sl 37.5); 8)Os jovens devem ser sóbrios (simples, modestos, não exagerados): 1 Pe 5.8a; A desobediência a esses princípios resulta em conflitos desnecessários, tornando-nos culpados diante de Deus. 

4.3. SUBMISSÃO À PALAVRA DE DEUS

Para viverem bem em família, os seus integrantes (pais e filhos) precisam submeter-se à Palavra de Deus, como servos (Mt 20.25-28), temer a Deus e andar nos seus caminhos ( Sl 128) 

4.4. SUBMISSAO AO ESPÍRITO SANTO

Só a submissão ao Espírito Santo faz com que o crente obedeça à Palavra de Deus. Os membros da família precisam demonstrar o Fruto do Espírito em seu relacionamento , conforme Gl 5.22-23. Pastores ou membros da igreja, filhos ou pais, esposos e esposas, todos sem exceção precisam viver dando fruto do Espírito. No texto acima, temos a Fórmula do Bom Relacionamento Cristão (BRC): BRC= f (A, G, P, L, B, B, F, M, T.) Os pais devem ser companheiros dos filhos e não seus ditadores. Uma boa regra é ter FIRMEZA com AMOR. Por outro lado, os filhos devem obedecer aos seus pais e honrá-los, "pois é mandamento com promessa"; hoje, no meio da milenar rebelião contra Deus, há filhos que não honram os pais. Isso satisfaz ao inimigo do lar. É necessário muita oração, adoração a Deus no lar, para que os conflitos sejam motivo de crescimento e maturidade e não de confrontos e contendas. O CULTO DOMÉSTICO não elimina os conflitos, mas ajuda a enfrentá-los como cristãos e a superá-los para a glória de Deus. 

5. SARANDO AS FERIDAS

No relacionamento entre os membros da família, muitas vezes surgem atritos e problemas, que deixam verdadeiras feridas na alma, mais difíceis de sarar do que as feridas no corpo. Mas a Bíblia tem o tratamento para elas. 

5.l. É PRECISO RECONHECER OS PROBLEMAS NO RELACIONAMENTO

Não adianta guardá-los. A Bíblia diz: "Não se ponha o sol sobre a vossa ira..."(Ef 4.26).

5.2. SE OFENDEMOS, PRECISAMOS PEDIR PERDÃO.

É difícil, mas é indispensável para sarar as feridas interiores. O pai precisa pedir perdão ao filho quando errar e o filho pedir perdão ao pai, quando o ofender. É o caminho para a vitória.

5.3. QUANDO SOMOS OFENDIDOS: PRECISAMOS PERDOAR.

É mais difícil, ainda, mas é o único caminho para ficar livre dos aguilhões do ressentimento, da mágua, do rancor. Quem não perdoa paga um alto preço. A TENSÃO EMOCIONAL age como um um inimiho da saúde, provocando, dentre outras coisas: úlceras do estomago e intestinos; pressão alta; colite; problemas no coração; distúrbios mentais; doenças renais; dores de cabeça; diabetes; artrite e outras muitas. É preciso perdoar os familiares (e até os inimigos). Mt 5.44. Não convém dar lugar à "raiz de amargura" (Hb 12.15). 

5.4. RESULTADOS DO PERDÃO

1) As feridas são saradas. O perdão é um bálsamo, um refrigério para a alma; dá alívio e paz ao coração.
2) O perdão verdadeiro libera o ofendido da mágoa. O ofensor fica com Deus (Perdão não é absolvição).
3) O perdão verdadeiro dá saúde à mente e ao corpo;
4) Deus é glorificado e o inimigo derrotado. 6. 

CONCLUSÃO

No relacionamento entre os membros da família cristã, é importante que todos dêem lugar à presença de Deus, vigiando para que o inimigo não encontre brecha para atuar entre eles. Oração e jejum; leitura da bíblia diária; culto doméstico; a prática do Fruto do Espírito, principalmente do amor, da longanimidade, da benignidade, da bondade e da temperança, são garantia certa contra as desavenças e conflitos no lar. Que Deus nos abençoe que possamos colocar em prática o que nos orienta a Sua Palavra para a família e o lar. 

Autor: Pr. Elinaldo Renovato de Lima 

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Frase


Filhos e Limites.



O exemplo é o maior testemunho que os pais podem dar

A missão de educar os filhos tornou-se um dos temas mais complexos da nossa atualidade e é uma das questões mais debatidas por pais, educadores e pela sociedade.

Na busca da receita certa, alguns pais pecam, e muito, quando se trata de impor limites aos filhos. Para a psicopedagoga Mara Musa Soares, essa falta de limites, muitas vezes, está nos pais, que são espelhos para os filhos. “O exemplo é o maior testemunho que os pais podem dar. Antes de brigar com os filhos, eles devem fazer uma auto-análise, ver se estão pondo em prática o que ensinam, se como adultos também têm limites. Em alguns casos, já constatamos que o problema não está nos filhos”, diz ela.

Qualidade do tempo
Com pouco tempo para ficar com os filhos como passar-lhes noções de caráter, lealdade e companheirismo? Segundo Mara, não é a quantidade e sim a qualidade do tempo com os filhos e os ensinamentos que se passa pra eles que fazem a diferença. “Em toda e qualquer oportunidade de estarem juntos, os pais devem criar um ambiente de descontração e alegria, proporcionando um momento prazeroso, onde possam demonstrar, com palavras de afeto, o quanto é importante aquela ocasião.”
A psicopedagoga ainda salienta: “Falar sobre todo e qualquer tipo de assunto que possa interessar à criança, tirar dúvidas, conferir sua participação e aprendizagem em sala de aula, seu relacionamento com os professores e com os colegas de turma é fundamental. Os pais também devem dizer aos filhos que os amam e motivá-los a enfrentar as adversidades da vida. Falar e dar exemplos da importância dos valores morais, noções de ética e cidadania e desigualdade social. Cabe aos pais o papel de formar cidadãos decentes. O da escola é de educá-los intelectualmente.”

Presentes
Não é sempre que o filho faz algo de bom que os pais devem dar presentes. “O elogio é uma terapia divina e vale muito mais do que presentes. Podemos elogiar por uma boa ação, mas também visando a superação de um problema. Motive-o a agir corretamente, expresse-se com calma e tranquilidade, escolhendo palavras sábias para edificar e não para derrubar”, afirma Mara, acrescentando que nem sempre dizer sim faz bem. “Os filhos tem que aprender a lidar com as frustrações e tristezas. Um ‘não’ que recebem pode ajudá-los a processar esses sentimentos, que também fazem parte da nossa vida.”

Castigo
Outro grande dilema dos pais é como impor limites às vontades infantis sem passar por carrasco? “Falar sempre a verdade para criança, de modo que ela compreenda. Conscientizá-la com amor e brandura. No entanto, se ela não atender, imponha castigos, como privá-la de alguns momentos de diversão que ela aprecie, sempre tentando dialogar o motivo da punição”, explica a psicopedagoga.
Segundo ela, quando um bom diálogo não resolve, é até válido o uso da palmada, mas os pais devem escolher o momento certo, que nunca deverá ser de raiva. “A palmada deve ser aplicada no bumbum da criança, e os pais deverão explicar o motivo daquela ação. Depois, deve-se sugerir que o filho faça uma reflexão sobre o erro e dizer que estará aguardando para uma boa conversa, para saber se ficou entendido o motivo das palmadas. Esse momento também é válido para orientar sobre desculpas e arrependimentos, deixando bem entendido que deseja que o fato não se repita”, ressalta a psicopedagoga, orientando que o momento certo para começar a educar uma criança é, certamente, desde pequena.
Fonte: Arca Universal Via  Panorama Cristão

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

As Finanças no Casamento




As Finanças no Casamento

1.DEUS É O PATRÃO: Ele quer suprir financeiramente nossa família, pagar o salário do marido e da esposa e a mesada dos filhos! ...aos seus amados Ele o dá enquanto dormem. Salmos 127. Por isso vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida... Mateus 6;25,34

2.DEUS TEM O DINHEIRO: Tudo pertence a Deus. Ageu 2;8 Minha é a prata, meu é o ouro... Teu, Senhor é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade, porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra...Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força. I Crônicas 29;11;12

3.NÃO SOMOS DONO DE NADA: Como saiu do ventre de sua mãe, assim nu voltará, indo-se como veio; e do seu trabalho nada poderá levar consigo. Eclesiastes 5;15 Porque nada temos trazido para o mundo, nem cousa alguma podemos levar dele I Timóteo 6:7 ...Pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo. II Coríntios 6:10 O paradoxo do cristão!

4.DEUS DÁ TUDO: Deus nos dá os bens materiais....O homem não pode receber cousa alguma se do céu não lhe for dada. João 3;27 Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o meu braço me adquiriram estas riquezas. Antes, te lembrarás do Senhor, teu Deus, porque é Ele o que te dá força para adquirires riquezas... Deuteronômio 8 17;18 Aquele a quem não popou ao seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as cousas? Romanos 8;32

5.DEUS MOSTRA O VERDADEIRO TESOURO: O reino de Deus é semelhante a um TESOURO... Mateus 13;44,45 buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas... Mateus 6;33,34 O verdadeiro tesouro é CRISTO, No casamento o verdadeiro tesouro é o CÔNJUGE Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas jóias...Provérbios 31;10 e na família o verdadeiro tesouro, a herança de Deus são os FILHOS. Herança do Senhor são os filhos; o fruto do seu ventre, seu galardão... Salmos 127;3

6.DEUS NOS PEDE: Mateus 6;19 “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam...” Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e ciladas, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é a raiz de todos os males...I Timóteo 6; 9,10 Ame o trabalho, mas não ame o dinheiro que ele lhe proporciona. Ame seu patrão mas não o salário que ele lhe paga. Ame as pessoas e não as coisas! 

7.DEUS NOS LIVRA DA GANÂNCIA: Não andeis ansiosos pela vossa vida: comer beber, vestir, morar etc. Mateus 6;25.34 ...Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação...Tanto de fartura como de fome; assim de abundancia como escassez: tudo posso naquele que me fortalece. Filipenses 4;11,12 Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; Salmos 127;2 GANÂNCIA X GENEROSIDADE ...Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum Atos 4;32 Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, a medida que alguém tinha necessidade... Atos 3;45 O generoso será abençoado, porque dá do seu pão ao pobre. Provérbios 22;9

8.DEUS É O PATRÃO, SOMOS O MORDOMO: Disse Jesus também aos discípulos: Havia um homem rico que tinha um administrador...Lucas 16 Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os bens. A um deu cinco talentos, a outro, dois e a outro, um, a cada um segundo a sua própria capacidade; e, então partiu...Disse o Senhor: Muito bem, servo bom e fiel; fostes fiéis no pouco, sobre o muito te colocarei...Mateus 25;14

9.DEUS É SENHOR, O DINHEIRO É SERVO: ...De quem é esta efígie e inscrição? Responderam: De César. Então lhes disse: Daí, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Mateus 22;20 O que o dinheiro como patrão fez a estas pessoas: Acã: Josué 7;20 Dalila: Juizes 16:5 Judas: Mateus 26;24 Jovem Rico: Marcos 10;22 Ananias e Safira: Atos 5;3 Onde o dinheiro deve ser depositado? No banco? No bolso? No coração? Onde? Atos 4;35 O que o dinheiro como servo fez : Havia em Jope uma discípula por nome Dorcas; ela era notável pelas boas obras e esmolas que fazia...Pedro, dando-lhe a mão, levantou-a; e chamando os santos, especialmente as viúvas, apresentou-a viva. Atos 9;36 Cornélio! Este fixando nele os olhos e possuído de temor, perguntou: Que é, Senhor? E o anjo lhe disse: As tuas orações e as tuas esmolas subiram para a memória diante de Deus... Atos 10;4 ...Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! Atos 3;6

10.DEUS PREVINE O QUE O DINHEIRO FAZ Ele engana: Mas os cuidados do mundo, a fascinação da riqueza e as demais ambições, concorrendo,sufocam a palavra, ficando ela infrutífera. Marcos 4;19 Ele derruba: Quem confia nas riquezas cairá, mas os justos reverderão como a folhagem. Provérbios 11;28 Ele faz o ladrão: Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubas, vós a nação toda. Trazei todos os dízimos a casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida. Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril...Malaquias 3;8-11 

Deus quer o melhor para o casal e para a família, se seguirmos seus mandamentos , obedecermos sua vontade, e discernirmos seus princípios, construiremos nossa casa sobre a rocha, não há chuva ,vento ou tempestade que possa derrubar.
Nossa família é a família de Deus.