Um Recado Para Você!

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Nada Além das Quatro Paredes

Resultado de imagem para entre quatro paredes alma gemeasO relacionamento de um casal não deve ir além das quatro paredes. Ao erguer as quatro paredes para a vida sexual, o casal deve seguir estes padrões bíblicos: amor, abnegação, satisfação e respeito; essas quatro “paredes”, quando ligadas, formam o ambiente seguro para o relacionamento sexual de um casal.

A. Amor
O amor é a primeira parede de qualquer relacionamento. Ele nos leva a ter total interesse no bem-estar do próximo. Na conversa entre Deus e Abraão, sobre a destruição de Sodoma e Gomorra (Gn 18.22-33), o Senhor declarou que seu amor pelos justos o levaria a poupar aquelas cidades. Já 1 Coríntios 13 nos mostra que o amor é uma inclinação em favor do outro. Um relacionamento amoroso se estabelece somente quando duas pessoas desejam e trabalham pelo bem um do outro; e isso deve ser aplicado no relacionamento sexual do casal: o interesse não é somente buscar o próprio prazer, mas também o do outro.
B. Abnegação
A abnegação é a marca do amor verdadeiro da igreja de Cristo. Paulo ressaltou isso ao falar da igreja de Tessalônica (1Ts 1.3), que mostrava abnegação ao apoiar os necessitados, ao abrir mão de parte de seus recursos pelo bem do outro.
Uma relação matrimonial que revele como deve ser a igreja do Senhor tem na abnegação um importante parâmetro. No relacionamento conjugal, ambos devem se entregar, abrindo mão de si mesmo pelo bem do outro. Amor e abnegação são paredes que, unidas, formam parte da estrutura de um lar. O amor nos move em direção do outro, em favor do outro; já a abnegação nos move para longe de nós mesmo. Tanto o amor como a abnegação foram demonstrados por Cristo (Fp 2.5-11).
C. Satisfação
Paulo demonstrou seu amor aos filipenses, mesmo diante de tantas pessoas que tornavam sua prisão ainda mais dura. Ele mostrou que seu desejo em permanecer era ver os frutos do evangelho na vida de seus irmãos. A satisfação de quem ama é a satisfação da pessoa amada.
Esse princípio também se aplica na vida conjugal. A terceira parede da intimidade do casal é a satisfação. O amor é uma ação em favor do outro. Quando amamos o nosso cônjuge o seu bem-estar é uma satisfação para nós.
D. Respeito
A quarta parede, o respeito, completa o fechamento correto da relação de um casal. Em tempos em que tanto se fala de fantasias e de coisas para “apimentar” a relação, devemos lembrar que a Palavra de Deus preza a honra do corpo. Antes de ser meio de prazer para um casal, o corpo é oferta a Deus (Rm 12.1).
O prazer e a satisfação do próprio corpo não devem ser o foco do ser humano. Antes de tudo, o corpo deve ser encarado como instrumento para serviço de Deus. Além da satisfação sexual do casal, Deus nos constituiu para seu serviço, por isso imprimiu-nos sua imagem e semelhança. O uso do corpo deve ser respeitoso, de modo que nem esposo, nem esposa, o usem indevidamente, sem objetivar a glória de Deus.
Infelizmente, diante de tanta perversão sexual, os crentes têm adotado formas grotescas de sexo, que desviam o propósito de Deus para nosso corpo. Para que um casal cristão não ceda à tentação de imitar o que a pornografia vende como sendo simples formas de se esquentar a relação é preciso haver respeito entre os cônjuges.

Sexo é importante e deve ser praticado dentro dos limites do matrimônio. Não deve ser usado como moeda de troca. Há uma forma bíblica para o romantismo e, para alcançá-la, o casal deve construir sua relação a partir de quatro pilares sólidos; são eles: o amor, a abnegação, a satisfação e o respeito.
O cristão deve ter cuidado com as inspirações, e as fontes de onde ele tira ideias para incrementar o relacionamento sexual. Além disso, ele deve enxergar o corpo, a relação sexual e a vida a dois como um serviço diante de Deus e não como uma simples forma de satisfação pessoal.

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Relacionamentos são Dificeis... Mas amar seu Parceiro deve ser Facil.

Resultado de imagem para relacionamentos


Relacionamentos não são fáceis.
Haverá dias ruins. Haverá mal-entendidos. Haverá lutas. Haverá olhares desagradáveis, olhos revirados e muitas vezes vocês irão dormir sem se quer dar boa noite.
Se você quer que seu relacionamento dure, então você não pode fugir ao primeiro sinal de problema. Você não pode desistir de sua pessoa porque ela te atrapalhou uma ou duas vezes.
Você tem que fazer compromissos. Você tem que pedir desculpas. Você tem que aceitar desculpas. Você tem que se comunicar. Você tem que se importar.

Relacionamentos precisam de esforço constante. Eles precisam de muito trabalho.

Mesmo que vocês dois sejam perfeitos um para o outro, ainda haverá desentendimentos. Mas quando você ama alguém de verdade, você vai puxar um cobertor sobre ele(a) depois que ele(a) adormecer no sofá, mesmo que ele(a) tenha acabado de gritar com você.
Você vai deixar a cama preparada, o cobertor no jeito e desligar todas as luzes da casa só pra quando ele(a) sair do chuveiro, o único trabalho que tenha que fazer seja deitar.
Mesmo quando você estiver chateado(a) com ele(a), você não vai querer vê-lo(a) chorar. Mesmo quando você estiver planejando dar um gelo nele(a), você ficará tentado(a) a escrever para ele(a) no meio do dia.
Mesmo quando você deveria estar irritado(a) com ele(a), ele(a) vai encontrar maneiras de fazer você rir novamente.

Quando você ama alguém de verdade, você não consegue ficar bravo(a) por muito tempo.

Trabalhar seus problemas parece ser a única opção. Perdê-lo(a) é a última coisa que você quer que aconteça. Você aprecia sua pessoa. Você valoriza sua pessoa. É por isso que você sempre faz as pazes com sua pessoa.
Haverá momentos em que você vai desejar estar sozinho(a), vai querer ficar em paz. Haverá momento em que você vai preferir estar em qualquer lugar do mundo, exceto na mesma sala que ele(a). Mas você nunca vai deixar de amá-lo(a). Você nunca vai esquecer o motivo pelo qual está com ela(a).

Você nunca duvidará da força de seus sentimentos.

Relacionamentos são difíceis — mas amar o seu parceiro deve ser fácil. Deve ser algo natural. Deve ser tão instintivo quanto respirar.
Você deve ser capaz de listar um milhão de razões pelas quais você o(a) ama. Você deve sentir-se explodindo de alegria no momento em que ele(a) entrar na sala. Você deve ser capaz de dizer que é a pessoa mais sortuda do mundo e sentir verdade em cada palavra.
Amar o seu parceiro deve ser algo fácil. Você deve se sentir confortável quando o(a) beijar. Você deve se sentir à vontade para conversar com ele(a) sobre qualquer assunto.
Você deve se sentir bem em compartilhar boas, mas notícias e até mesmo o silêncio com ele(a). Quando ele(a) estiver por perto, você deve sentir que está exatamente no lugar que deveria estar.

terça-feira, 11 de junho de 2019

Divorcio a Luz da Bíblia


Resultado de imagem para divorcio a luz da bibliaO índice de divórcios no Brasil cresce a cada ano. É comum ver casais que se casam rapidamente e se separam em uma velocidade maior ainda.

Divórcio não é algo recomendado por Deus e nem que O agrada, mas, à luz da Bíblia, há uma circunstância em que o divórcio é permitido.

O padrão divino para o casamento é, segundo as palavras de Jesus, que seja indissolúvel (Marcos 10.9). Mas há uma larga diferença entre o ideal e o real. Logo, conhecendo a dureza do coração humano e seus problemas de relacionamento, Deus permitiu exceções ao Seu projeto inicial, especialmente em casos de violência doméstica, abusos emocionais e sexuais e casos contumazes de adultério.

Quando foi indagado a respeito de o divórcio ser ou não permitido segundo a Lei mosaica, Jesus explicou: Moisés, por causa da dureza do vosso coração, vos permitiu repudiar vossa mulher; mas, ao princípio, não foi assim. Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério. Mateus 19.8,9

Não havendo infidelidade, o divórcio é ilegítimo, pois não põe fim ao vínculo do casamento. Mas, o mesmo não se pode dizer quando o motivo é o adultério. No caso de simples repúdio por motivo fútil, o divórcio é ilegítimo aos olhos de Deus.

De acordo com a Bíblia, para Deus, o ideal é que não haja traição e que, havendo, o perdão seja liberado. Mas, por causa da dureza do coração do homem (Mateus 19.8), da sua incapacidade de perdoar, o traído pode divorciar-se e casar-se de novo.

Entretanto, isso não significa que o divórcio deva acontecer automaticamente quando o cônjuge comete adultério. Aqueles que descobrem que seu parceiro foi infiel devem primeiro fazer todo o esforço para perdoar, reconciliar-se e restaurar o relacionamento.

O divórcio deve ser empregado apenas em última instância, quando o adúltero não demonstrar arrependimento genuíno repetindo esse ato vil que abala a confiança do cônjuge, machuca-o e desestrutura o vínculo conjugal.

Algumas pessoas empregam Romanos 7.1-3 para respaldar uma posição contrária a um novo casamento em qualquer hipótese. Afirmam que o que traiu e o que foi traído estão ligados até a morte. O contexto não permite tal entendimento. O objetivo do apóstolo Paulo era mostrar, especificamente aos judeus, a diferença entre a antiga e a nova aliança.

Utilizar esse texto para condenar o divórcio em qualquer hipótese é ser mais duro do que Jesus. É obrigar a pessoa a conviver com o outro sem jamais poder divorciar-se, ainda que seja traída ou agredida repetida e continuamente.

Se a nova aliança condenasse alguém a esse tipo de jugo, não se faria superior em nada à antiga, já que a Lei mosaica, nesse sentido, seria mais humana, tolerante e justa. Os judeus não tinham o casamento como indissolúvel. Eles conheciam as exceções. Jesus as interpretou de forma mais eficaz e restrita.


Como SALVAR meu Casamento


Imagem relacionadaApresente seu Casamento a Deus em Oração, Ele pode Ajudar
   O Casamento é uma criação Divina, foi Deus que projetou o casamento e por certo não é da vontade dele que você se separe. Mt 19.4-6   Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, 5.  E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? 6.  Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.
 Apresente o seu casamento em oração a Deus, Clame a ele, suplique, Reserve momentos a sós com o Criador, Fazendo assim, alimentará sua alma de esperança e sentirá confiança na resolução dos problemas. Chame seu parceiro (a) para orarem juntos, esse momento pode quebrar muitas barreiras e ser libertador.
Mateus 7. 7-11 Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. 8  Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á. 9  E qual de entre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra? 10  E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente? 11  Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?

Como Salvar Meu casamento – Tome a Decisão de Não se Separar

 Acredito que pensamentos de Separação inundam sua Cabeça dia e noite. Mas Veja só: A Grande maiorias das pessoas que desistiram de seus casamentos e se separaram, continuam tendo problemas de Relacionamento com seus futuros parceiros. Isso Prova, quase que igual a um experimento científico, que a separação não é a solução para a grande maioria dos casos.
Você deve estar convicto (a) de que separação não é a decisão correta a ser tomada, alias essa palavra não pode fazer parte do seu vocabulário, você deve ter isso massificado em sua mente e em seus sentimentos. Decida lutar pelo seu casamento. Separar jamais.

Como Salvar Meu Casamento – Diálogo

Provérbios 15:1 A RESPOSTA branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.
 O casal deve criar o hábito de conversar, Aproveite os momentos juntos como café da manhã, almoço, deitados na cama, e conversem. Quando sentirem algum desgaste sondando vocês, Conversem sobre o problema. A falta de diálogo pode ser sufocante para maioria das mulheres, que tem por natureza e condições fisiológicas a necessidade de falar mais que os homens.
   Muito mais importante do que colocar os pingos nos is (conversar) é saber a hora de dialogar. Muitos casais travam brigas ferrenhas por tentarem conversar quando os ânimos estão exaltados, quando a cabeça está quente. Chamo esse fenômeno de Síndrome do espelho. Coloque um espelho de frente para o outro e as imagens irão se multiplicar até o infinito. Assim é para o casal, discutirem relação com ânimos exaltados, não chegam a lugar nenhum, a chance de tomar uma decisão precipitada e errada com sérias consequências é muito maior.

Como Salvar Meu casamento – Perdoem-se

   Manter-se casado é um exercício contínuo do perdão, afinal, errar faz parte do aprendizado do ser humano. Se existisse uma receita de bolo de como salvar meu casamento, esse ingrediente não poderia ficar de fora. Nunca diga que você vai perdoar a última vez, Jesus indagado pelos discípulos sobre quantas vezes deveria perdoar seu irmão ele disse. Mateus 18. 21 –  Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? 22 –  Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete.

Como Salvar Meu casamento – Procure Ajuda de um Amigo

Separação é um fardo muito pesado para ser carregado sozinho. Procure um amigo (a) que você possa confiar que seja uma pessoa de Deus, e compartilhe as lutas que está enfrentando no casamento. Muitos Casais Perdem batalhas no seu relacionamento por falta de um conselho. Sei que esse assunto é muito delicado e as vezes pode parecer vergonhoso  compartilha-lo com alguém, mas não o é, muito pelo Contrário, Aconselhar-se com um amigo é uma atitude sábia e honrosa.

Como Salvar Meu casamento – Faça Muito Sexo

  É no Sexo que de fato os corpos se unem e os casais se tornam uma só carne. Prolongar a falta de sexo como punição por brigas, desavenças, discussões… é a pior decisão que um casal pode tomar, abrindo assim brechas para que satanás possa agir entre o casal. Veja o Conselho que o Apostolo Paulo deu aos Cristãos de Coríntios sobre o Sexo. I Coríntios 7. 5  –  Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.  Esse versículo bíblico é muito claro quanto ao relacionamento sexual do casal.


sexta-feira, 10 de maio de 2019

Vida Espiritual do Casal

Resultado de imagem para casal orando desenho"E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus , em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor do Senhor" Ef 55:18-21

Quando falamos de vida espiritual nos referimos a uma obra que é realizada pelo o Espírito Santo de Deus. (Jo 3:3). Conforme o profeta Ezequiel profetizou Deus estaria trocando o coração duro do homem por um coração de carne e poria neles seu Espírito (Ez 36:26). Assim, podemos entender que é o Espírito de Deus quem aplica a obra redentora no homem (arrependimento, fé, regeneração, santificação – cf. Jo 16:8; Rm 5; 8:26 ). Somente os que andam no Espírito vivem  a plena vida que Cristo tem a oferecer aos que o aceitam como Salvador.

A forma como o casal conduz sua vida espiritual determina assim seu grau de maturidade e comunhão com Deus. Percebemos que apesar de viverem debaixo do mesmo teto, muitos casais estão vivendo níveis diferentes na vida espiritual o que tras em muitos momentos dificuldades no relacionamento e nas atividades cotidianas. As prioridades passam a ser diferentes, o modo de encarar a vida também tem outro sentido. Além disso, nota-se que não há a preocupação do cônjuge Ter uma experiencia profunda com Deus.

Uma vida espiritual precisa ser marcada então pelo enchimento do Espírito, e é com base no que o apostolo Paulo nos falou é que vamos abordar então sobre a vida espiritual. Enchei-vos do Espírito, esta é a exortação. Vejamos o que Paulo quer nos ensinar com isto. Antes porém, é bom que considere-se quatro ressalvas:

- Ser Cristão verdadeiro não é uma garantia de que o casamento e a vida familiar darão automaticamente certo.
- Ser cristão comprometido com os padrões bíblicos pode trazer dificuldade ainda maiores ao casamento.
- Casamento e criação de filhos não são assuntos á parte de nossa fé.
- O conceito bíblico de casamento é único e diferente de todos os demais.

Assim podemos entender que não é somente ser crente que as situações se resolverão da noite para o dia. Na realidade passamos por um processo, onde o Espírito Santo vai trabalhando em nossas vidas nos preparando para a eternidade (II Co 3:18). Neste caminhar necessitamos várias vezes de nos enchermos do Espírito do Senhor.

I – COMO CASAL SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO?

Para o apóstolo Paulo existem três passos necessários para obedecermos ao imperativo: Louvando ao Senhor de Coração v.19;  Agradecendo por tudo ao Senhor v.20 e Sujeitando-nos uns aos outros no temor de Cristo v.21. Ser cheio do Espírito Santo não é apenas falar em línguas. O crente cheio do Espírito Santo demonstra na sua vida “marcas” que comprovam sua vida transformada. Assim sendo, ser cheio do Espírito Santo inclui:

a) Uma vida de louvor a Deus v.19 - Em Jo 4:23 temos a orientação sobre a verdadeira adoração. Adorar a Deus deve ser uma atitude baseada na verdade e conduzida pelo Espírito. Somente aqueles que tem o Espírito podem verdadeiramente adorar a Deus. Desta mesma forma,  o louvor a Deus deve ser uma atitude conduzida pelo Espírito. Não sou eu quem determino como devo louvar a Deus. É Deus que estabelece critérios sobre o louvor que Ele recebe.  Deus é digno de louvor – 1 Cr 16:25; O louvro  Deve estar continuamente em nossa vida Sl 34:1;  Devemos estar na presença de Deus com louvor Sl 100:4; Deus deve ser louvado pelo que é – Sl 147:1; Devemos sermos como crianças a fim de que nosso louvor seja autêntico e sincero diante de Deus – Mt 21:16. Não podemos esquecer que também devemos oferecer sacrifícios de louvor (Hb 13:15), ou seja fruto dos nossos lábios que confessam que Cristo é Senhor.

b) Uma vida de gratidão a Deus v.20 - Um coração marcado pelo Espírito de Deus é grato. Sabe reconhecer as dádivas que vem de Deus e também aquilo que as pessoas fazem por ele. No mundo, onde o egoísmo e o individualismo impera, a gratidão é cada vez mais rara. Devemos aprender a sermos agradecidos (Cl 3.15,16). Ser grato a Deus é saber agradecê-lo provisão (Mateus 6:11,30-34), pela proteção sobre sua vida (Sl 91:1; Ed 8:31) pela salvação (Rm 3:24,25).

c) Uma vida de submissão a Deus e ao próximo v.21 - Paulo escrevendo aos Filipenses diz: nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; (2.3). Este texto é bem claro em dizer que o crente deve aprender a se submeter ao próximo. Esta submissão não é escravidão. Ela representa o ato de servir, de não querer ser mais que o outro, de ver no próximo alguém semelhante.  É o Espírito de Deus que nos capacita a viver assim. Portanto, é preciso abrir “espaço” em seu coração para que cheio do Espirito de Deus você seja capacitado a respeitar e submeter ao próximo. Onde praticamos esta sujeição mútua?

- Na igreja v. 18–21;
- Na Família 5:22 a 6:4;
- No trabalho 6:5-9

Observe que aqui o apóstolo afirma que uma vida cheia do Espírito é marcada pelo louvor, a gratidão e pela sujeição mútua. Entendemos então que ser cheio do Espírito não é apenas falar em línguas , ou pregar bem ou orar fervorosamente. A atuação do Espírito de Deus na vida do casal pode se evidenciar nestes pontos apresentados por Paulo e são características que demonstram a importância de um caráter transformado por Deus.

Portanto, o ensino de Paulo sobre o casamento e a família (e também sobre nossos relacionamentos no trabalho) é a continuação explicativa do mandamento “sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo”, que por sua vez é uma explicação do mandamento principal enchei-vos do Espirito.

II – FAMÍLIA CHEIA DO ESPÍRITO SANTO

Paulo em Ef 5:22 ss esta tratando com maridos, mulheres , pais e filhos quanto aos seus deveres mútuos, passando-lhes instruções que devem controlar esses relacionamentos. Toda exortação de Paulo quanto ao procedimento do casal esta baseada num imperativo: ser cheio do Espirito. Assim, no relacionamento familiar saudável deve o Espirito de Deus Ter primazia para que assim haja a plenitude da ação de Deus. Lares onde o Espirito de Deus não tem liberdade são marcados por tristezas, problemas no relacionamento, visto que suas vidas estão vivendo longe do verdadeiro conhecimento de Deus.

Tratando especificamento da questão da sujeição na família podemos verificar as seguintes questões:

- O amor do marido pela esposa, seguindo o modelo de Cristo é sacrificial;
- Santifica e cuida da esposa
- É sublime porque é figura do amor de Cristo pela igreja

Quem alcança estas atitudes demonstra Ter na sua vida o Espírito de Deus e cumpre o mandamento da sujeição. Em resposta a uma atitude madura e provedora do homem Paulo demonstra que a mulher tem como resposta o respeito e a submissão ao esposo. É importante ressaltar que num mundo onde os papeis (não as pessoas) de homem e mulher não são mais caracterizados, a bíblia tras uma forte enfase sobre como devem andar enquanto casal que possuem vida espiritual.

Esta atitude promovera o lar e trará oportunidades de crescimento tanto nas áreas do sentimento como também na fé.

III- IMPLICAÇÕES DE UMA VIDA ESPIRITUAL DO CASAL

Uma vida do casal onde ambos são cheios do Espirito e procuram viver nessa dimensão tras diversos beneficios:

a) Proporciona a ambos a oportunidade de amadurecerem juntos na fé.
b) Representa a formação de uma herança espiritual para sua família (filhos)
c) Fortalece o relacionamento
d) Cria ambiente para ministrarem um ao outro (oração, consolo, exortação, ensino, etc...).
e) É um discipulado permanente no lar (um aprendendo com o outro) a como seguir a Cristo
f) Renova as forças da casal nas diversas áreas de suas vidas.

Conclusão:
A palavra enchei-vos esta no tempo verbal que indica três coisas importantes.
- Esta no imperativo passivo – isto indica que a ação de encher não é nossa e sim do Espirito de Deus. Cabe-nos abrir nosso coração para que o Senhor nos encha. É uma atitude de disposição que Deus exige de nós.
- Esta no plural – ou seja, é para todos serem cheios
- É uma ordem (imperativo) isto indica que não é uma opção e sim uma ordem.

Cabe a você hoje abrir seu coração pois Deus quer te encher.

| Autor: Pr. Antônio Firmino da Silva Júnior | Divulgação:estudosgospel.Com.BR

Proteja o seu Casamento

Proteja seu casamento e não deixar nunca mas sua Felicidade ser Destruida.  A blindagem é uma proteção máxima, por isso aplicamos este termo para o casamento que precisa ser protegido e cuidado a cada dia. Casamento Protegido por Deus. Mesmo que está jornada ainda não esteja como vocês esperavam... O meu casamento Protegido por Deus. O maior gesto no amor conjugal não está nas mãos que se enlaçam, nem nos lábios...
 
         O plano de Satanás é matar e roubar de você e de seu casamento. Ele até usa as coisas que parecem ser boas para lhe destruir. De fato, geralmente a busca do que é bom distrai da busca daquilo que é melhor.
         Às vezes, o obstáculo não será um ataque de Satanás, mas simplesmente sua própria falta de raciocínio.
         Esteja atento ao obstáculo de desenvolver a unidade no casamento:
        
  Ter muitas atividades individuais. Ir em direções opostas muitos dias e noites da semana pode causar danos. Negócios, envolvimento comunitário e igreja são importantes, mas se os seus horários são cheios de atividades individuais, seu casamento vai sofrer por falta de tempo juntos. Procure por coisas que vocês possam fazer e desenvolver juntos.
        
  Não encontrar tempo para estarem juntos. Se você não separar um tempo para estarem juntos, provavelmente esse tempo nunca será encontrado. Outras coisas, pessoas e eventos irão tomar todo o seu tempo. Crie a disciplina de “fazer” o tempo a fim de estarem juntos.
      
  Não se comunicarem regularmente ou de maneira significativa. O casamento associa duas pessoas ocupadas, e a preocupação da família em produzir um relacionamento que é desafiado pelas muitas direções da vida ativa. Você deve continuamente desenvolver a comunicação, para manter um laço de intimidade em meio a tantas ocupações. A prática da comunicação requer tempo e compromisso se é que de fato vamos ouvir o nosso cônjuge.
        
  Não resolver as diferenças que emergem. A intimidade é mais fácil de ser destruída do que construída. Ignorar ou fingir que as diferenças não acontecem, absolutamente nada resolve. Dê a vocês mesmos o tempo para crescerem juntos em unidade. Encare, confronte e lide com seus problemas.
        
   Se comunicar magoando o outro. Pergunte a você mesmo: Minhas palavras convidam meu cônjuge a entrar no meu coração ou o/a lançam para longe de mim? Se ultimamente as suas palavras não têm sido cheias de graça , se arrependa diante do Senhor e de seu cônjuge. Nunca ataque seu cônjuge: sempre ataque o problema que é a raiz da desavença. Fale carinhosamente.
     
    Ser desonesto. O engano jamais traz nada de útil num relacionamento. Sempre diga a verdade com integridade.
      
    Importunação. Uma vez que você já disse ao seu cônjuge tudo o que você sabe que já foi ouvido, deixe com ele/ela e entregue ao Senhor. Encorajem um ao outro.
      
    Comportamento abusivo ou violento. O comportamento abusivo é prejudicial ao espírito e à alma, assim como ao corpo. As repercussões de um abuso também irão ferir àqueles que estão ao seu redor. Procure aconselhamento imediatamente. Tratem um ao outro com amor.
       
    Infidelidade. Não há nada que possa trazer maior dano a um relacionamento do que infidelidade conjugal seja de caráter físico ou emocional. A infidelidade pode dar lugar a uma ilusão temporária mas as conseqüências podem ser devastadoras. Perdão, cura e reconciliação podem vir a tomar lugar, mas o processo pode deixar profundas e visíveis cicatrizes não apenas em você, mas em muitos ao seu redor.

Autor: Glenda Malmin